Essencial nos tempos passados, exaltada pela religião, exigida pelos homens, preservada pelos pais, enaltecida pela sociedade e guard...


Essencial nos tempos passados, exaltada pela religião, exigida pelos homens, preservada pelos pais, enaltecida pela sociedade e guardada pela mulher como algo precioso, a virgindade era emblema de pureza e honra, incentivada e valorizada como algo fundamental em uma mulher solteira, especialmente nas sociedades que foram erguidas com base nos ensinamentos das principais religiões monoteístas; judaísmo, cristianismo e islamismo. Como estou escrevendo para mulheres estarei focando a virgindade feminina, e já de inicio é importante esclarecer, que nesse caso, a ideia de virgindade não está atrelada apenas a não violação do hímen, mas a compreensão de uma mulher que nunca foi submetida a NENHUM tipo de relação sexual.

Desde os primórdios da sociedade que a submissão é vista como uma tradição distorcida e errônea do patriarcalismo, uma vez que abarca...


Desde os primórdios da sociedade que a submissão é vista como uma tradição distorcida e errônea do patriarcalismo, uma vez que abarca o histórico e discriminatório pensamento do suposto dever de submissão da mulher ao homem como se ela estivesse em uma posição hierárquica inferior a ele na sociedade. Visto que, o machismo tornou-se a marca registrada da violenta desigualdade hierárquica de gêneros; e o feminismo, uma doutrina opressora e vulgar, que denigre a imagem da mulher, segundo o padrão que Deus determinou desde a sua criação. O presente artigo tem por enfoque reafirmar a submissão como um princípio bíblico para uma feminilidade pautada na Palavra de Deus. Visto que, o público alvo do nosso blog são as mulheres e, assim, servas do Senhor, estarei aqui dirigindo unicamente para tais.

Nesses últimos dias vivemos o pessimismo como marca registrada de nossa sociedade. O caos assola nosso país e são muitos os que pre...


Nesses últimos dias vivemos o pessimismo como marca registrada de nossa sociedade. O caos assola nosso país e são muitos os que premeditam um fim catastrófico, as doenças endêmicas alastram-se assombrosamente rápidas, a justiça é estratificada, contribuindo assim para uma divisão de classes econômicas e sociais. Os tempos do ufanismo humano se afogaram nas margens plácidas de algum lagozinho. O hedonismo, porém, tornou-se o brado retumbante e com uma mordaça fez da liberdade sua escrava. Todavia, em meio à balbúrdia propagada e as atrocidades vividas, como uma serva de Deus deverá proceder nesse contexto histórico?

Mesmo sendo servas de Deus, entendemos que vivemos em um mundo imprevisível. Somos alcançadas muitas vezes por circunstâncias que não...


Mesmo sendo servas de Deus, entendemos que vivemos em um mundo imprevisível. Somos alcançadas muitas vezes por circunstâncias que não prevíamos, e que até transtornam o que havíamos planejado. Esta realidade é apenas uma amostra de que as coisas nunca estarão sobre o nosso controle, e isso geralmente nos traz murmuração e descontentamento, porque é muito fácil reclamarmos quando as coisas não acontecem do nosso jeito!

Santidade é um dos atributos comunicáveis de Deus e está dentro da categoria que a teologia comumente denomina de atributos morais. &q...


Santidade é um dos atributos comunicáveis de Deus e está dentro da categoria que a teologia comumente denomina de atributos morais. "Qadesh" é o termo hebraico para “ser santo” e deriva da raiz "qad", que significa separar ou cortar e nos escritos veterotestamentário é empregado essencialmente a Deus. Enquanto que, no Novo Testamente, o verbo grego "hagiazo" é derivado de "hagios" e expressa primariamente a mesma ideia de separação. Entende-se então, que o conceito primário de santidade, na Escritura, consiste em uma posição ou relação existente entre Deus e uma pessoa.