A história da nossa fé é preciosa e fazemos mui bem em conhecê-la, seja para não repetirmos os erros que há muito tempo foram cometid...

Voltemos às veredas antigas

3 Comentários

A história da nossa fé é preciosa e fazemos mui bem em conhecê-la, seja para não repetirmos os erros que há muito tempo foram cometidos, seja para preservar os elementos essenciais à nossa identidade. No entanto, podemos cair em dois extremos que, normalmente, nos inclinamos quando olhamos para o passado. O primeiro extremo é romantizar alguma época, lhe atribuindo caráter normativo, como sendo o ideal para todos os tempos. O outro extremo é desprezar o passado, como se nada de valor ou de alguma importância real em nossos dias pudesse ser encontrado.

Essas duas perspectivas sobre os tempos passados são perigosas e nos levam a cair em algum erro. A primeira nos faz odiar o presente, porque nos enamoramos pelo passado e falhamos em perceber que em todas as realizações humanas há imperfeições, mesmo as que são feitas com todo zelo. Nenhuma época depois da Queda é perfeita! Essa postura mostra nossa falta de confiança na sabedoria de Deus, que escolheu esse tempo para que vivêssemos e pudéssemos fazer parte da Grande História que Ele mesmo escreveu. A segunda perspectiva também nos leva ao erro, porque tendemos a supervalorizar o presente em detrimento do passado, desconsiderando o agir de Deus nas gerações passadas. Nesse último ponto, a nossa falha esta em perceber que o Deus que controla o mundo hoje é o mesmo que sempre o controlou, não importa a época, e os seus feitos passados devem ser do nosso interesse.

Outra questão importante sobre nós e aquilo que foi realizado no passado é no que diz respeito as questões espirituais, aos princípios de Deus. Este ano estamos comemorando 500 anos desde o ano em que um monge, da Ordem Agostiniana, chamado Martinho Lutero, afixou 95 teses na porta da igreja do castelo de Wittenberg para um debate público. Seu ato deu-se em consequência de um dia ele ter lido as velhas, mas eternas, palavras do livro de Deus: “... O justo viverá pela fé” (Rm. 1.17). Martinho Lutero olhou para trás, para as veredas antigas, que não diz respeito a costumes, aspectos culturais, modismo ou coisas do tipo. Quando Deus, através do profeta Jeremias, advertiu os israelitas a perguntarem pelas veredas antigas, isso significava andar novamente debaixo da orientação de Deus, como eles tinham sido orientados desde o princípio. Lutero voltou a essas veredas ao buscar a orientação de Deus nas Escrituras. O olhar para trás trouxe o resgate daquilo que não pode ser validado por tempos e gerações, pois encontra seu valor eterno em Deus, que são seus princípios. Sobre isso o Dr. Lloyd-Jones escreveu:

"... A maior lição que a Reforma Protestante tem a nos ensinar é justamente que o segredo do sucesso, na esfera da Igreja e das coisas do Espírito é olhar para trás.” (Martin Lloyd-Jones - Rememorando a Reforma, p. 8)

Portanto, voltemos às veredas antigas, aos princípios eternos da Palavra de Deus e vivamos nesse tempo que nos foi dado de modo que as gerações que virão depois de nós possam olhar para os nossos dias e serem encorajadas a pegarem o bastão e continuar a caminhada, certos de que o caminho que seguimos é confiadamente o caminho que Deus nos orientou a seguir.

Vivamos esses princípios por mais impopulares que eles possam ser para as pessoas do nosso tempo. Voltemos as veredas antigas! Como diz a letra da música "Show Us the Ancient Paths":

Senhor confessamos que estamos distantes
distantes do Teu propósito e plano
E quisemos caminhar na direção errada
e desobedecer seus comandos
Pai, perdoa-nos,
Espírito Santo vem e leva-nos
De volta ao caminho
De volta a verdade
De volta ao pé da cruz

Mostre-nos o caminho antigo
Leva-nos aos caminhos eternos
Queremos andar nos caminhos de Jesus
Queremos entrar no Seu descanso

Senhor é a Tua misericórdia e Tua boa vontade
Que constantemente nos leva de volta a Ti
Tua paciência infinita e constante correção
Tua aliança de amor será até o fim

Tu és a nossa esperança e nossa salvação
Tu nos deste alegria
Tu nos deste a graça
E coragem para levar a cruz

Queremos deixar as marcas de nossas pegadas
Pra quem está vindo atrás
Que os sinais em nossas vidas mostrem Jesus
Um caminho para facilmente encontrá-LO

Queremos sentir os sofrimentos de Jesus
Ao obedecermos
que nossas vidas mostrem
o glorioso caminho da cruz

Sonaly Soares



Você também pode gostar

3 comentários:

  1. "... A maior lição que a Reforma Protestante tem a nos ensinar é justamente que o segredo do sucesso, na esfera da Igreja e das coisas do Espírito é olhar para trás.” (Martin Lloyd-Jones - Rememorando a Reforma, p. 8)

    Graça e paz para todas, gostei muito da frase bem como do contexto publicado. Que essa reforma seja constante em nossas vidas. A Escritura tão somente. Deus vos abençoe.

    ResponderExcluir

Receba nossas postagens