Somos convencidos de que nossa missão, como servos do Deus altíssimo, é propagar o seu Evangelho redentor ao mundo, como também const...

“Um coração com Cristo é um missionário. Um coração sem Cristo é um campo missionário”

0 Comentários

Somos convencidos de que nossa missão, como servos do Deus altíssimo, é propagar o seu Evangelho redentor ao mundo, como também constitui um nobre privilégio da Igreja o dever de anunciar o princípio absoluto de Deus, Jesus Cristo, nosso mediador. Tal entendimento não é errôneo, pois, as Sagradas Escrituras asseveram que devemos ir por todo mundo anunciar o Reino de Deus a qualquer criatura (Marcos 16.15). Todavia, quando se parte para alcançar “toda criatura” há um entendimento de que o “ide” é restrito à outra etnia que não seja a sua, e assim, muitos esquecem de que o primeiro passo na vida missionária é ser um imitador de Cristo em seu lar, em seu trabalho, em sua faculdade ou em sua escola. E muitos partem dessa premissa. Esquecem-se de que ser missionário constitui, primariamente, seguir os passos de Jesus em sua comunidade, zelando por um testemunho autêntico e abnegado, e trazendo em seu corpo as marcas de que ser um cristão, é ser um missionário a partir do momento em que se compreende a mensagem da cruz ensanguentada de Cristo Jesus.

Possuir um coração missionário configura que Deus nos chamou para sermos participantes dos sofrimentos de seu Filho (1 Pedro 4:13) e assim, testemunharmos para as pessoas que não foram alcançadas pela Graça imerecida, cujo coração é um campo missionário, ou seja, todo cristão é missionário, pois nosso dever é estar revestido da verdade de Deus com firmeza e ousadia, para trazer o cativo, por meio da Palavra do Senhor, ao arrependimento. Quando Deus nos predestinou para o serviço missionário, Ele nos chamou a santidade, pois, nos elegeu filhos adotivos por meio de Jesus Cristo (Efésios 2.4-5), esta amplitude significa dizer que a Bíblia retrata a postura de como um servo de Deus deve se portar diante do mundo. Nossa conduta transparece a essência do que vivemos, sendo assim, se buscarmos viver de maneira que agrade a Deus, testemunhando de seu Evangelho e nos compadecendo dos perdidos, conduzindo-os a Cristo, exercemos o ofício glorioso que é ser um missionário na comunidade em que residimos.

Por conseguinte, precisamos ter a consciência de que anunciar o Evangelho de Jesus é nossa obrigação como servos de Deus (1 Coríntios 9.16); e que devemos nos consagrar a essa obra de consequências eternas, pois, uma alma vale mais que o mundo inteiro (Mateus 16:25-26), e se desperdiçarmos as oportunidades de pregar Cristo a qualquer pessoa, seremos cobrados pelo seu sangue (Ezequiel 3:18); que a omissão constitui pecado, quando desprezamos as oportunidades de pregar sobre Cristo, ou, quando o próximo, por algum desvio de caráter, passa a “pregar” uma teologia antropocêntrica, pervertendo o Santo evangelho, calar-se nesses momentos, é ser omisso e negligente para com a Palavra de Deus. Por fim, a Bíblia fala que devemos anunciar o Cordeiro de Deus a qualquer criatura e sem desperdiçar oportunidades, pois esta é a nossa obrigação como cristão. Possuir um coração com Cristo é ser um missionário, compreendendo que somos instrumentos em suas poderosas mãos. Dessa forma, não nos contentaremos com esta sociedade permissiva; mas, iniciaremos um protesto sincero e caloroso contra a frieza e inércia dos últimos tempos.

Mysia Rebeca



Você também pode gostar

Nenhum comentário: