“Ouvindo isso, não apresentaram mais objeções e louvaram a Deus, dizendo: ‘Então, Deus concedeu arrependimento para a vida até mesmo ao...

Arrependimento: Uma dádiva libertadora

0 Comentários

“Ouvindo isso, não apresentaram mais objeções e louvaram a Deus, dizendo: ‘Então, Deus concedeu arrependimento para a vida até mesmo aos gentios’!" Atos 11:18

Desde que desenvolvi o hábito maravilhoso da leitura, sempre está ao meu lado o livro selecionado, uma caneta e um caderninho para anotar os principais ensinamentos do autor do livro. Fazendo assim, memorizo com mais precisão suas impactantes lições. Dito isto, decorei uma passagem de um livro que dizia o seguinte: “Ao longo de nossas vidas há duas palavras que devem ser ditas com mais frequência. A primeira é perdão e a segunda é obrigada. Se dissermos a primeira ‘Perdão’ com frequência durante o curso da vida, quando estivermos em nosso leito de morte, só precisamos dizer a segunda ‘Obrigado!’”. Essas doces palavras esculpi na minha mente e coração, pois, compreendi que antes do perdão vem o arrependimento. Assim, o perdão é o profundo anseio humano que deseja ser purificado e restaurado pelo Senhor em virtude do ato praticado contra Sua santa lei, e que sua concessão produz gratidão. Portanto, o perdão é fruto do arrependimento de um coração que não busca alternativas para encobrir seus pecados, mas que deseja ser remido dia após dia pela Verdade absoluta do Senhor Jesus, sendo assim, o arrependimento é uma dádiva libertadora.

No versículo supracitado, o autor mostra que para ter uma vida com Cristo é indispensável o arrependimento dos pecados. Assim preceitua a Bíblia de estudo de Genebra: “O arrependimento bíblico inclui contrição pelos pecados e uma mudança de vida e atitude, conduzindo a pessoa a confiar em Jesus Cristo, receber perdão dos pecados, herdar a vida eterna e viver de maneira a manifestar o fruto do arrependimento”. Desta maneira, quando Deus nos remiu pela cruz ensanguentada de Cristo, que tirou dos nossos olhos a venda do pecado e assim enxergamos que fora de Jesus estávamos mortos em nossos delitos e pecados, nos foi concedido a Graça imerecida, pois, o Senhor elegeu o Príncipe e Salvador, para outorgar a nós o arrependimento e o perdão de pecados (Atos 5.31).

Destarte, grande contentamento invade nossos corações quando somos perdoados por Cristo Jesus, é uma alegria indescritível! Seu amor e misericórdias são derramados em nossas vidas, mesmo sem merecermos o Senhor renova as suas misericórdias a cada rompimento da aurora, Sua bondade é a razão de não sermos consumidos! (Lamentações 3.22). Enfim, Grande é o Seu amor e fidelidade! Agora, querida irmã, quero te perguntar: como tem sido seu relacionamento com Senhor? Você tem se arrependido de atos praticados contra Sua santa lei? E como vão seus relacionamentos? É fácil se arrepender e perdoar seu próximo, mesmo sendo ele o errado? Para isso destaco alguns pontos basilares para desenvolvermos o arrependimento e um caminho de restauração concedido pelo Autor de nossas vidas. São eles:

A necessidade do arrependimento

“Daí em diante Jesus começou a pregar: "Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo".” (Mateus 4:17)

A Bíblia assevera que estávamos mortos em nossos delitos e pecados (Efésios 2:1), sendo assim, não existe ninguém, em nosso meio, que possa dizer que não tem pecados, visto que, só foi Jesus o único que habitou entre nós e não tinha pecados. Portanto, a natureza humana, por si só, é depravada, decaída e precisa ser purificada, e para que assim ocorra precisa haver arrependimento. É por meio da bondade de Deus que somos levadas ao arrependimento (Romanos 2.4), é no arrependimento para remissão de pecados que anunciamos o senhorio de Cristo (Atos 17.30), o Príncipe e Salvador de nossas vidas foi exaltado por Deus para nos conceder o arrependimento (Atos 5.31). Portanto, não negligencie o arrependimento que o Senhor te concede, pois, ele é uma dádiva libertadora!

A bondade de Deus nos leva ao arrependimento

“Ó Deus meu! Cria em mim um coração puro, e renova dentro de mim um espírito inabalável.” (Salmos 51.10)

O rei Davi quando escreveu esse Salmo, estava encharcado de um profundo sentimento de pecados diante de Deus, ele não aguentava mais aquela angústia, seu pecado drenava suas forças, secava os ossos, ao ponto de não ter mais alegria na Salvação de Deus. Todavia, ele olhou para dentro de si e reconheceu que pecou, então confessou seu pecado: “Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue.” (v.3). Davi tentou encobrir seu pecado de várias formas, mas ele entendeu que seus atos pecaminosos intentaram contra os desígnios de Deus. Olhando para si, ele, teve a convicção de seus pecados e se arrependeu, confessou-os e clamou ao Senhor por um coração puro e um espírito renovado.

O arrependimento é uma das dádivas da graça de Deus concedida aos seus filhos quando reconhecem seus pecados e não querem mais encobri-los. Sendo assim, o arrependimento promove o rompimento com a vida velha (Marcos 2.14), leva ao clamor por graça (Lucas 18.13), opera nova vida (1 tessalonicenses 1.6-7) e por fim, conduz ao serviço do Senhor (Gálatas 1.23). Portanto, quando reconhecemos nossos pecados, a bondade do Senhor nos leva ao arrependimento, promovendo contentamento ao confessa-los.

Os frutos do verdadeiro arrependimento

“Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados” (Atos 3:19)

Quando reconhecemos nossos pecados diante de Deus, Sua graça produz um anseio de viver de modo que o glorifique. O profundo pesar de nossos pecados diante do Senhor incorruptível provoca uma tristeza devastadora, a mesma que ocorreu com o rei Davi, e a única forma de galgar a paz que excede todo entendimento é nos humilhando diante do Senhor e suplicando seu perdão para remissão de nossos pecados. Portanto, os frutos do verdadeiro arrependimento se mostram na tristeza e humilhação pelos pecados, deixar os caminhos pecaminosos (Isaias 55.7), na confissão sincera do pecado (Atos 3.19), e romper com todo pecado conhecido (1Tessalonicenses 1.9).

Por conseguinte, o arrependimento é uma dádiva da graça de Deus concedido a nós, seus filhos e filhas, visto que são nos momentos mais tortuosos de nossas vidas que há alegria e libertação quando nos arrependemos de nossos pecados, pois, entendemos que o arrependimento promove o reconhecimento de nossas falhas, permite uma reconciliação autêntica com os nossos irmãos, e gera um clamor para receber um coração puro e um espírito inabalável. Portanto, Confie no Senhor, entregue sua vida a Jesus e você verá a facilidade de um arrependimento puro e genuíno para restauração de sua vida, e consequentemente usufruirá de um relacionamento íntimo e profundo com Deus e verá misericórdia nos relacionamentos com seus amigos e familiares.


Mysia Rebeca



Você também pode gostar

Nenhum comentário: