O pastor David Platt disse que pediu sua esposa em casamento com as palavras do Salmo 34.3: 

Se um rapaz piedoso te fizer esse convite, diga sim!

4 Comentários

O pastor David Platt disse que pediu sua esposa em casamento com as palavras do Salmo 34.3: 

“Engrandecei o Senhor comigo e juntos exaltemos o seu nome.”
Segundo ele, ela aceitou o convite de ter ele como parceiro, no caminho que tem como propósito maior exaltar o Senhor com suas vidas.

O propósito do casamento, como de tudo em nossas vidas, é engrandecer o Senhor. Por isso, os critérios essenciais na escolha de um marido (ou esposa) não devem ser beleza, posição social ou quaisquer fundamentos falhos. Não devemos ponderar:

“Hum, ele é bonito, então eu quero!”

Mas: “Esse rapaz tem o mesmo propósito de vida que eu. Ele ama a Deus e deseja honrá-Lo.”

Esse deve ser o nosso pensamento, pois se um homem ama a Deus e dispõe sua vida para honrá-Lo, ele será um bom marido, um bom pai, um bom profissional, um bom líder. É alguém que tem a conduta marcada pelo temor a Deus.

Mas algumas de nós dirão, no entanto, que não existem rapazes assim e eu as compreendo, pois essa declaração não é sem nenhum fundamento. Há fortes razões para pensarem isso, pois a masculinidade bíblica (como também a feminilidade) vem sofrendo severos ataques nas últimas décadas, numa tentativa perversa de efeminar os homens, e, infelizmente, isso tem alcançado resultados significativos levando muitos homens jovens a recuarem de seu papel bíblico de líder e sacerdote. Por isso é que hoje nos queixamos por haver tantos rapazes sem iniciativa, sem capacidade de liderança, acomodados e sem perspectivas profissionais, que odeiam trabalhar. Felizmente, alguns líderes em nossos dias, a exemplo de Paul Washer, John Piper, Albert Mohler e Wayne Grudem têm olhado para essa situação e orientado muitos jovens rapazes sobre o papel bíblico para os homens através de seus escritos ou ministrações.

E cada vez mais rapazes cristãos estão sendo confrontados e despertados para essa realidade, não são muitos, é verdade, mas eles existem. Eles amam a Deus, eles estudam a Bíblia, eles têm vida de oração, eles leem Piper, Paul Washer e Mohler, eles participam de estudos e conferências, eles têm interesse em aprender mais da Palavra de Deus, eles têm lutado para manter-se puros, eles servem em suas igrejas, eles honram os pais, eles estudam e/ou trabalham, eles estão progredindo em maturidade, eles querem construir uma família, eles não fogem do casamento, pelo contrário, desejam fortemente o matrimônio, eles querem educar filhos no caminho de Deus, eles querem amar uma mulher que teme a Deus, proteger, prover e se sacrificar por ela, ser-lhe fiel e liderá-la em amor, seguindo o exemplo do seu Senhor.

E alguns deles podem pensar da mesma forma que as moças pensam quando dizem que rapazes assim não existem. Eles devem olhar ao redor e ver pouca ou nenhuma expressão de verdadeira feminilidade bíblica, pois muitas mulheres (e também homens) em nossas igrejas, infelizmente, parecem ter uma cosmovisão tão influenciada pelos ditames da nossa cultura que as levam a ter uma conduta distante dos princípios do Evangelho, porque em nossos dias ser um “cristão mundano” é ser legal, tá moda, e o “viver de modo digno do Evangelho” (Fl. 1.27), é considerado ultrapassado. Então, não devemos estranhar a possibilidade desses “remanescentes”, igualmente, se queixar de terem dificuldade em conhecer mulheres com uma conduta bíblica.

Esses rapazes devem estar evitando se relacionar com moças fúteis, vulgar, que não tem interesse na Santa Palavra de Deus, que demonstra desprezo pela feminilidade bíblica e que rejeitam sua liderança sacrificial.

Esses rapazes talvez não sejam tão bons com as palavras como os “chavequeiros”, não sejam tão bonitos quanto os atores dos filmes românticos, nem tenham dinheiro como os mocinhos das novelas. Não são por essas características que eles serão identificados, embora não seja impossível um rapaz piedoso, eloquente, bonito e rico. O fato é que essas características não são essenciais e nenhum filho de Deus deve ser desqualificado por não tê-las.

Eu acredito que Deus sempre preservou um povo na terra, homens e mulheres de todas as idades, selados com Seu Espírito, ansiando viver para Sua glória, mesmo em tempos difíceis como os nossos. Olhe para sua vida, em como o Senhor graciosamente te salvou e tem te conformado à imagem de Seu filho, veja o seu progresso no conhecimento de Deus e da vontade dele para você, pense em como o Senhor tem te agraciado com uma compreensão bíblica de sua feminilidade e perceba que mais moças e mulheres tem se juntado a você nesse entendimento e de forma ainda muito tímida ecoado essas transformações em seus contextos. No entanto, o Senhor tem operado essas transformações entre homens também e se você não é celibatária e tem o desejo de servir a Deus também no contexto do casamento e um dia um homem desses te fizer o convite:

 “Engrandecei o Senhor comigo e juntos exaltemos o seu nome.”1
Diga sim!

Que Deus conduza seus filhos e suas filhas a bela união do casamento apontando para a realidade eterna da relação graciosa entre Cristo e Seu povo.


Sonaly Soares
_____________
1Claro que não precisa ser nessas palavras, a ideia é que a proposta seja de um casamento que tem como finalidade agradar a Deus com essa relação. Não importa as palavras usadas, mas se os dois têo mesmo objetivo, que é a glória de Deus.


Você também pode gostar

4 comentários:

  1. amém! acredito que devemos sempre esperar no Senhor independentemente de qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  2. Wow! Mensagem edificante. Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  3. lindo. vamos nos esforçar em ser parte desse remanescente de Deus.

    ResponderExcluir

Receba nossas postagens