Inteligência humilhada é uma excelente obra produzida pelo pastor Jonas Madureira. Este livro nos faz refletir como o conhecimento de D...

Indicação de livro: “Inteligência humilhada” – Jonas Madureira

0 Comentários

Inteligência humilhada é uma excelente obra produzida pelo pastor Jonas Madureira. Este livro nos faz refletir como o conhecimento de Deus e os limites da nossa razão se relacionam, como também nos mostra que fé e razão não se limitam ao debate que encerra nas definições de fideísmo e racionalismo. Partindo do versículo que diz “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus...” (Tg 4.6-7), logo nas primeiras páginas encontramos declarações consideráveis como:

“a fé não precisa morrer, só precisa pensar [...] a razão não precisa morrer, só precisa dobrar os joelhos.” (p. 27).

Para o autor, não é preciso optar pela fé em detrimento da razão (e vice-versa), a inteligência humilhada é, portanto, a fé que não tem medo de pensar, duvidar ou questionar e, ao mesmo tempo, a consciência da humilhação da razão que nos faz reconhecer o papel fundamental da fé.

O livro está dividido em 5 capítulos. Inicialmente, Jonas Madureira trata da teologia diante de Deus, pontuando que Deus tem o conhecimento adequado de todas as coisas, mas nós somos limitados em relação ao conhecimento dEle e também em relação ao nosso autoconhecimento.

“O conhecimento que Deus tem de nós nos humilha não apenas porque somos ignorantes com respeito a ele, mas sobretudo porque somos ignorantes com respeito a nós próprios.“ (p. 43)

Dessa forma, o autor compreende que a libertação do tolo, isto é, o conhecimento da verdade não vem da razão por si mesma, mas de uma atuação de Deus no coração humano.

Ao discorrer sobre o conhecimento na desgraça, Jonas afirma que a desgraça é uma consequência da queda e o homem não foi feito para ela, mas uma vez caído e cego, desvia a sua atenção para o que não é Deus. A pergunta é se o homem pode fazer algo por si mesmo na tentativa de redirecionar toda a sua vida para Deus e a resposta é: não! Ainda assim, alguns buscam encontrar o sentido da vida através do conhecimento, mas:

“Se Deus não é Senhor de sua mente, pode ter certeza de que ela terá outro Senhor[...] Uma pessoa que pensa biblicamente, isto é, que assume sua dependência da graça não se deixa seduzir pelo canto entoado dos que acreditam na possibilidade do livre pensamento...” (p. 109)

No capítulo intitulado “Deus humilhado”, há uma ênfase na obra redentora de Cristo como exemplo de humilhação e exaltação:

“Cristo é o Deus humilhado, mas sua encarnação foi uma humilhação que durou o instante que vai da concepção no ventre de Maria até a sua morte na cruz.” (p. 143)

Depois de ressurreto, o Verbo é exaltado por Deus através da ressurreição do corpo que foi humilhado.  O autor ainda trata a questão do autoconhecimento, apontando Deus como a única referência para a vida autêntica:

“A autenticidade só é possível no conhecimento do Deus que nos conhece.” (p. 197)

Por fim, ele considera um dilema enfrentado pelos teólogos no que diz respeito à manutenção da doutrina e à luta por justiça social, concluindo que o compromisso do teólogo é primordialmente com a visão de mundo que parte de Deus para depois buscar compreender o mundo ao seu redor.

Inteligência humilhada encerra com a afirmação de que o propósito último da Palavra de Deus é a transformação do coração e vida, o que sobrepuja a simples informação teológica. Este livro é mais um daqueles que, como diz o próprio Jonas, “você não pode passar dessa vida sem ler”. É uma obra complexa que não deixa de ser acessível e instigante. Que a nossa oração retome a conclusão do livro:

“Conforme a Tua Palavra, ensina-me a te conhecer como tu queres ser conhecido e só assim saberei realmente quem eu sou.”

Informações do livro:                                     
Título: Inteligência humilhada
Autor: Jonas Madureira
Editora: Vida Nova
_________________
Juliany Correia



Você também pode gostar

Nenhum comentário: