Como o próprio subtítulo prediz, o presente livro trata acerca de expectativas fictícias que as pessoas nutrem quanto ao casamento e do ...

Indicação de livro: “O que você esperava?” – Paul David Tripp

0 Comentários

Como o próprio subtítulo prediz, o presente livro trata acerca de expectativas fictícias que as pessoas nutrem quanto ao casamento e do que o casamento realmente é. Paul David Tripp é pastor, autor e palestrante. Quanto ao assunto abordado, possui uma vasta experiência em seu ministério de aconselhamento de casais, além de ser casado desde os vinte anos. Neste livro, ele pretende desmitificar fantasias comuns que homens e mulheres imaginam quando pensam em seus próprios casamentos. No decorrer de cada capítulo são apresentadas experiências de problemas comuns que dois pecadores podem enfrentam em um laço matrimonial, baseadas em fatos reais. O autor também lista possíveis soluções para que o casamento progrida de uma maneira saudável e feliz, à luz das Escrituras Sagradas.

“Expectativas fictícias sempre acabam em decepções.”
Muitos casais vivem, de fato, decepcionados em seus casamentos, porque nutriram expectativas falsas acerca do que ele haveria ser. Em nossos sonhos e planos nunca incluímos as dificuldades, imprevisões ou lutas que podem nos acontecer, sempre queremos acreditar no melhor. Vemos até relatos de problemas entre cônjuges, mas imaginamos que conosco tudo será diferente. Esquecemos que somos pecadoras casando com um pecador, vivendo em um mundo caído, e que falhas sempre serão inevitáveis, junto com dificuldades. Por isso, nos frustramos. Porém, até as nossas frustrações não saíram do controle amoroso do nosso Deus.

“A morte do sonho é algo que todos os casais experimentam. Nenhum de nós consegue realizar o sonho do jeito que o sonhou, porque nenhum de nós está escrevendo sua própria história. Deus, em seu amor, escreve uma história melhor do que aquele que nós imaginamos. Ele sabe muito melhor do que nós o que é o melhor para nós. Ele nos levará a lugares que nunca pretendíamos visitar, porque, ao fazê-lo, consegue nos transformar naquilo que ele quer que sejamos em Cristo.”

O objetivo do Senhor para com as nossas vidas é nos livrar de nós mesmos, e muitas vezes Ele terá de interromper alguns de nossos planos para que mudemos o foco de nós mesmas para Ele e a Sua vontade.

“O propósito da graça é libertá-lo das amarras do seu ego. A graça quer levá-lo ao seu limite para que você finalmente comece a depositar a sua identidade, seu sentido e propósitos e seu senso de felicidade nele. Por isso, ele o coloca num abrangente relacionamento com outra pessoa falha, e coloca esse relacionamento bem no meio de um mundo muito danificado. E, como se isso não bastasse, ainda cria circunstâncias nas quais você nunca queria se encontrar. Tudo isso tem o propósito de leva-lo aos seus limites, porque é bem aí que a retidão verdadeira nasce. Ele quer que você desista. Quer que abandone seus sonhos. Quer que você encare a futilidade de tentar manipular outra pessoa para que seja seu servo. Ele sabe que não há vida a ser encontrada nisso tudo.”

Segundo o autor, nossas expectativas passam a ser realistas quando entendemos que estamos vivendo em um mundo caído, que somos pecadores casando com outro pecador, e que apesar disso, Deus é fiel, poderoso e disposto a nos ajudar. O pecado afetou grandemente o mundo e as nossas vidas, e enquanto não entendermos isso tenderemos a olhar para o outro como a causa dos nossos problemas. Paul Tripp nesse livro se dirige à raiz de todos os problemas que existem no mundo e nas nossas vidas: o pecado!

“Existem poucos casais que entendem aquilo que precisam entender para que uma transformação duradoura possa ocorrer no casamento. Eles acreditam que a luta é com o cônjuge, ou que precisam mudar as circunstancias em que se encontram. Mas a realidade é esta: Todas as lutas horizontais são frutos de um guerra mais profunda. A guerra importante, que precisa ser vencida, não é a que estão travando um contra o outro, mas a que está sendo travada neles individualmente. Para que a transformação verdadeira possa ocorrer, essa guerra precisa ser vencida.”

A maior guerra que travamos não é contra o outro, mas contra nós mesmos. Essa guerra mais profunda é enfatizada neste livro, que nos leva a refletirmos na causa dos nossos problemas a fim de que possamos encontrar a maneira certa de resolvê-los.

“O pecado nos entrega a nós mesmos. O pecado diminui as nossas vidas aos estreitos limites do pequeno mundo que definimos para nós mesmos. O pecado limita o nosso foco, motivação e preocupação ao tamanho das nossas próprias vontades, desejos e sentimentos. O pecado faz com que nos sintamos autoconfiantes e importantes demais. Por causa do pecado, nos sentimos mais ofendidos com as ofensas cometidas contra nós mesmos e nos preocupamos mais com o que diz respeito a nós mesmos. O pecado nutre nossos sonhos egoístas e incentiva planos baseados em nossos desejos. Por causa do pecado, amamos a nós mesmos e temos planos maravilhosos para as nossas vidas.”

Naturalmente, somos pessoas centradas em nosso próprio reino, no reino do nosso ego. Por isso que renunciar, amar e perdoar se torna tão difícil, porque ferem os princípios do nosso reino. Tomamos o lugar de Deus, como soberanos, e acabamos por criar em nossa mente um modelo ideal do que as pessoas devem ser ou fazer em relação a nós, inclusive, o cônjuge. Acabamos por criar tudo à nossa própria imagem.

“Sempre vivemos a serviço de um de dois reinos. Vivemos a reviço dos propósitos pequenos e egoístas do reino do ego, ou vivemos a serviço dos enormes propósitos que regem tudo, da origem ao destino, no reino de Deus.”

A solução está em quando dois pecadores, ainda que em um mundo caído, decidem juntos viverem em prol do grandioso Reino de Deus.

“Somente quando um marido e uma esposa vivem num alegre compromisso com os planos e propósitos e com o Senhor do reino de Deus que o seu casamento poderá ser de união, compreensão e amor.”

Todos estes ensinamentos e citações que escrevi até agora foram extraídos apenas do três primeiros capítulos deste livro, que por sua vez ainda contém vários outros que não estão aqui. São 17 capítulos de muito ensino e reflexão! A partir do capítulo quatro, o autor se concentra em como cultivar o casamento a fim de que haja a verdadeira felicidade nele, não deixando de mostrar os problemas, o que é necessário fazer para resolvê-los, e como fazer!

Cabe ressaltar que o livro não pretende nos deixar sem esperança quanto ao que se esperar de um casamento, e não presume que seja errado sonhar ou planejar com ele! O errado pode estar em sermos dominados por essas coisas, baseando tudo em nosso reino e descentralizando o reino de Deus.

Porém, ainda que isso aconteça, o Senhor está pronto para nos ajudar em qualquer dificuldade que enfrentaremos ou enfrentamos no matrimônio!

“Deus conhece a dimensão da sua luta. Ele conhece as profundezas na qual essa batalha é travada. Ele sabe da dimensão da nossa fraqueza e cegueira. Ele conhece a instabilidade dos nossos corações. Sabe como é fácil nos desviarmos do caminho. Por isso, para nos ajudar em nossos casamentos, ele não só nos deu um conjunto de regras; não, ele nos deu a si mesmo.
Emanuel invadiu seu casamento com uma iniciativa de graça guerreira. Ele não está do lado de fora do seu casamento, ditando uma série de regras pelas quais você deve viver, e julgando-o, caso você não as siga. Não, ele literalmente entrou em seu coração para lutar por você no exato local onde a guerra é travada pelo seu casamento – em seu coração.”

O Senhor tem propósitos muito maiores do que os nossos para o nosso casamento, e Ele está conosco em qualquer situação, pronto para nos ajudar, fortalecer e orientar.

“Ele está nisso com você e é por você. Como criador do casamento e aquele que os juntou, ele zela mais para que seu casamento seja aquilo que ele pretendeu que fosse do que você jamais poderá fazer. Ele possui a sabedoria de que você precisa. Tem a força que você precisa. Oferece o perdão que você precisa. E não o deixará quando as coisas ficarem difíceis.”

Não somos os autores de nossa própria história. Pela sua graça, o Senhor planejou e determinou tudo em sabedoria a fim de que os Seus propósitos grandiosos sejam cumpridos em nós, para a Sua glória.

“O plano é, de fato, lindo: em seu casamento, Deus o levará a lugares que você nunca pretendeu visitar, a fim de lhe dar aquilo que você nunca poderia ter conseguido por força própria.”

“O que você esperava?” é um daqueles tipos de livro que quando tentamos falar sobre, temos o receio de diminuirmos a sua grandeza por não conseguirmos apresentar um quadro fiel acerca dele. A única crítica negativa é que em dados momentos o autor chega a ser repetitivo, mas ainda assim, é o melhor livro sobre casamento que já li. Todo cristão deveria lê-lo, seja solteiro ou casado. Por isso, a indicação de livro de hoje é justamente ele.

Informações do livro
Título: O que você esperava? Expectativas fictícias e a realidade do casamento
Autor: Paul David Tripp
Editora: Cultura cristã
___________________________
Thayse Fernandes



Você também pode gostar

Nenhum comentário: