Instabilidade está presente em tudo o que nos rodeia. Vivemos em um mundo instável, ditado pela incerteza e pela alterabilidade das cois...

Estabilidade em um mundo instável

0 Comentários

Instabilidade está presente em tudo o que nos rodeia. Vivemos em um mundo instável, ditado pela incerteza e pela alterabilidade das coisas. A nossa vida em si é instável. Hoje estamos felizes, mas não sabemos se amanhã também estaremos. Hoje podemos ter boas condições financeiras, mas isso não garante que as teremos também daqui a uns meses ou anos. Hoje aparentamos estar saudáveis, mas esse estado pode ser facilmente alterado se descobrirmos qualquer doença em nosso organismo. Circunstâncias podem facilmente afetar as nossas vidas e oscilar o nosso ânimo. Seria, pois, possível alcançar estabilidade em uma vida instável? Depende do que entendemos por estabilidade. As Escrituras nos revelam que podemos sim ser estáveis, mas isso não significa que permaneceremos em um único estado o tempo todo, pois é algo que não é regido pelas circunstâncias externas, mas que vem de dentro. Pode o mundo todo ser alterado, mas em nosso íntimo permanecemos intactos. É algo parecido o que o salmista disse:

“Não temeremos ainda que a terra se transtorne e os montes se abalem no seio dos mares; ainda que as águas tumultuem e espumejem e na sua fúria os montes se estremeçam.” (Sl 46:2-3)

É uma estabilidade interior, provinda da felicidade apresentada no evangelho e da paz oriunda de um relacionamento com Deus. A felicidade que não vai embora nos momentos tristes e a paz que prevalece em meio à guerra.

Certa vez, o Senhor Jesus contou uma parábola para ensinar algo a esse respeito: a parábola da casa edificada sobre a rocha.¹ A princípio, observamos que dois homens tinham o mesmo objetivo: construírem as suas casas. Logo, os dois eram, sem exceção, construtores. Atrelando isso à nossa realidade, entendemos que todas também estamos construindo algo: as nossas vidas. Vamos a cada dia juntando tijolo após tijolo, estruturando a nossa superfície, progressivamente.

“...viver significa construir ou edificar. Cada ambição que um homem acaricia, cada pensamento que ele concebe, cada palavra que ele pronuncia e cada obra que ele realiza é, por assim dizer, um tijolo da construção. Gradualmente a estrutura da sua vida se eleva.”²

A casa representa algo estável, que permanece de pé durante vários e vários anos. Logo, os dois construtores desejavam algo estável representado pela figura da casa, para se abrigarem. O contraste entre eles é demonstrado em suas atitudes: um construiu a sua casa sobre a rocha, e o outro sobre a areia. Com isso, entendemos que um se mostrou sábio, e o outro, insensato.

A casa que não possui um bom alicerce tende a ser instável. Porque o segredo da casa permanecer de pé não está na qualidade dos seus tijolos ou no tamanho e formato que ela possui, mas em seu fundamento. A casa que foi construída sobre a areia não pôde permanecer diante da chuva e dos ventos, porque a areia não representa um bom fundamento para ela.

É interessante que as provas vieram sobre os dois construtores, mas só um deles tinha alcançado firmeza:

“E caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e bateram com violência contra aquela casa, mas ela não caiu, pois tinha seus alicerces na rocha.” (Mt 7:25)

No tempo bom as duas casas pareciam seguras, porém, as provas revelaram se de fato elas estavam. Quando as circunstâncias variaram, apenas uma casa ficou firme, o seu estado não foi alterado pelo o que estava acontecendo fora dela.

“As águas torrenciais que a ameaçavam não a puderam abalar. Ela resistiu aos tumultuosos embates. Ela suportou a enorme força arremetida da correnteza. Ela desafiou cada ataque furioso. Quando se esvaiu completamente a força da tempestade, lá estava aquela casa, sem que nenhum dos elementos da natureza lhe causasse dano.”²

O Senhor Jesus com esta parábola estava ensinando e dando as instruções necessárias para podermos ser como essa casa firme, mesmo diante das piores situações. Ele conta o segredo: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.” (Mt 7:24). A prudência ou sabedoria é vivenciada naqueles que obedece a Palavra revelada. Quando obedecemos a Deus estamos sendo tão sábios quanto aquele homem que construiu a sua casa em um bom alicerce.

O alicerce sabemos que é o próprio Jesus. Ele é esta Rocha tão firme e segura, na qual podemos construir toda a nossa vida e depositar a nossa inteira confiança. Ninguém está isento de dificuldades e de complexidades. Os rios vão vir e as águas são inevitáveis, sobre todas as casas! Não será a sua estrutura primariamente que a manterá firme, mas o seu alicerce!

Qual tem sido o alicerce da tua vida? Sobre o que tens fundamentado a tua estrutura? Será que colocas a tua segurança na conta bancária que poderá assegurar provimento de necessidades? Ou será que fundamentas o teu ânimo em um namorado ou cônjuge que te faz se sentir amada e valorizada? Talvez, em pessoas que te trazem alegria e alívio em momentos sombrios? Ou em teus próprios esforços de conseguir ser feliz? Afinal, sobre o que estás alicerçando a tua vida? Todas estamos construindo algo, todas temos uma casa, uma vida.

Se construirmos a nossa casa sobre Jesus, seremos estáveis, porque Ele é estável! Cabe ressaltar que as coisas mencionadas acima não são más, porém, elas não são um bom alicerce para estruturarmos as nossas vidas. Se mantivermos o nosso coração nelas estaremos sempre oscilando em proporção às coisas irem bem ou não, em atenderem ou não às nossas expectativas. Seremos tão instáveis como o mundo é. 

Somente Jesus é um alicerce seguro para as nossas vidas. É certo que o processo de cavar não é algo fácil, mas é algo que deve acontecer durante toda a nossa vida. Todo dia cavamos um pouquinho. Em outras palavras, não é porque conhecemos Jesus que estaremos sempre bem. Precisamos vir a Ele todos os dias, e encontrar novas forças para as nossas lutas diárias. Talvez até desanimemos algumas vezes e nos entristeçamos em alguns momentos, todavia, podemos ter a certeza de que Nele sempre encontraremos tudo o que precisamos, quando Ele for a nossa Rocha. O Senhor nunca se cansa, nem se fatiga, e os que esperam Nele renovarão as suas forças e subirão com asas como águia (Is 40:31). Ele nos renova e nos proporciona paz, mesmo diante das piores situações. Talvez nossas situações não sejam mudadas quando formos até Ele, mas nós não seremos as mesmas depois disso, alcançando revestimento a fim de estarmos intactas diante de qualquer uma delas.

É possível ser feliz incircunstancialmente, é possível ser estável em meio à instabilidade, quando fizermos de Jesus a nossa Rocha e formos prudentes por cumprirmos a Sua Palavra.

Thayse Fernandes
_______________________

¹ Mt 7: 24-27, Lc 6:46-49

² HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: Mateus. Vol. 1. São Paulo: Cultura cristã, 2001.



Você também pode gostar

Nenhum comentário: