John Owen é um dos teólogos puritanos mais notáveis. Nascido em 1616, aos 19 anos completou seu mestrado, em 1637 tornou-se pastor e e...

Indicação: “A mortificação do pecado” – John Owen

0 Comentários

John Owen é um dos teólogos puritanos mais notáveis. Nascido em 1616, aos 19 anos completou seu mestrado, em 1637 tornou-se pastor e em 1652 recebeu o cargo adicional de vice-reitor da universidade de Christ Church, a maior de Oxford. Owen morreu em 1683, mas seu legado de ensino sobre a importância de lutar contra as tendências e atitudes pecaminosas permanece.

No livro “A mortificação do pecado”, ele nos apresenta princípios bíblicos que são indispensáveis para a nossa santificação e nos convida a avaliarmos nossa vida espiritual. O autor explica a mortificação através de uma abordagem que ensina a natureza do pecado, a necessidade de lutar contra ele e o método para fazer isso.

A base de todo argumento utilizado por Owen está em Romanos 8.13: “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.”. Assim, ele conecta a mortificação e a vida eterna afirmando:

“o vigor, o poder e a consolação de nossa vida espiritual dependem da mortificação dos atos da carne.”(p.31)

Ao tratar sobre a natureza e gravidade do pecado, John Owen é enfático:

“preocupe-se em matar o pecado, senão ele acabará matando você.”(p. 33)

“Ora, é nosso dever mortificar e continuar matando o pecado, mas é dentro de nós que devemos agir. Quem é designado para matar um inimigo e para de golpeá-lo antes que o opositor cesse de viver, cumprirá apenas metade da tarefa.” (p.36)

O autor ainda elenca dois males que acompanham o cristão não mortificado, o primeiro relacionado a ele mesmo e o segundo às outras pessoas. No que se refere às outras pessoas, a influência maligna atua através do endurecimento e hipocrisia; quanto ao nosso interior, devemos estar atentos pois:

“A raiz de uma vida não mortificada é a assimilação do pecado sem senti-lo amargo no coração. Quando alguém ajustou a imaginação para uma espécie de apreensão da graça e da misericórdia que o torna capaz de engolir e de ingerir pecados diários sem sentir amargura, chegou à beira do abismo de transformar a graça de Deus em lascívia e de ser endurecido pela engenhosidade do pecado.” (p.46)

O livro nos mostra que somente o Espírito Santo é suficiente para a obra da mortificação:

“Sem Ele, todos os meios e métodos não valem nada; Ele é seu grande motor eficaz; Ele opera em nós conforme lhe convém” (p.49)

Owen prossegue afirmando que mediante o Espírito Santo podemos triunfar sobre o pecado constantemente, mas nesta vida nunca iremos destruir o pecado totalmente. Ele ainda nos lembra que:

“aquele que troca a soberba pelo mundanismo, a sensualidade pelo farisaísmo, a vaidade pelo desprezo do próximo, não pense que mortificou e abandonou o pecado. Mudou de dono, mas continua escravo.” (p.73)

A obra traz uma descrição pormenorizada da mortificação do pecado, elencando as etapas e os graus. É neste ponto específico que se encontra o trecho que me chama mais atenção:

“O indivíduo pode derrubar os frutos amargos de uma árvore ruim até se esgotarem, mas enquanto a raiz permanecer com força e vigor, derrubar os frutos atuais não impedirá de produzir mais frutos ruins. Essa é a tolice de alguns. Colocam-se com toda a sinceridade e diligência contra a erupção da concupiscência, deixando, porém, o princípio e a raiz intocados, fazendo pouco ou nenhum progresso nessa obra da mortificação.” (p.84)

 Além disso, o puritano coloca que não há mortificação sem conversão, isto é, não há morte do pecado sem a morte de Cristo, como também não há mortificação sem sinceridade completa para fazer morrer todas as concupiscências.

O livro em questão encerra com algumas instruções e diretrizes para nortear os leitores e ajuda-los a mortificar o pecado. Sendo assim, é um clássico cuja leitura é indispensável para todos nós que lutamos diariamente contra nossa natureza pecaminosa. Na luta contra o pecado, que Deus nos ajude a resistir e derramar o próprio sangue se for necessário (Hb 12.4).

Informações do livro:
Título: A mortificação do pecado
Autor: John Owen
Editora: Vida
____________________
Juliany Correia




Você também pode gostar

Nenhum comentário: