A autora Noel Piper é esposa de John Piper, e neste livro ela relata um resumo da vida de cinco servas de Deus. São elas: Sarah Edwards,...

Indicação: “Mulheres fiéis e seu Deus maravilhoso” - Noel Piper

0 Comentários

A autora Noel Piper é esposa de John Piper, e neste livro ela relata um resumo da vida de cinco servas de Deus. São elas: Sarah Edwards, Lilias Trotter, Gladys Aylward, Esther Ahn Kim e Helen Roseveare.

Em suas primeiras linhas, Noel fala acerca do título que ela presumia colocar neste livro: “Mulheres simples e seu Deus maravilhoso”. Ela explica o porquê:

“...acho tranqüilizador saber que Deus faz sua obra por meio daquilo que é simples. Ao usar o título Mulheres Simples, eu tinha em mente aquilo que Jim Elliot disse: ‘Missionários são seres humanos comuns, fazendo o que lhes foi ordenado. São apenas ninguém tentando exaltar Alguém’. Nem todas as mulheres neste livro são missionárias, mas penso que cada uma delas lhe teria dito: ‘Sou apenas uma pessoa comum’”.

A autora chama a atenção na introdução de que estas cinco mulheres eram pessoas simples, que viviam situações e dificuldades comuns às nossas. Elas não eram extraordinárias, humanamente falando, mas o seu Deus… Ele é maravilhoso! A fé e fidelidade Nele que elas manifestaram foi o diferencial em suas épocas.

O livro é dividido em cinco capítulos que contém as cinco mulheres, uma por vez. Neles encontramos informações acerca do contexto em que cada uma cresceu, com suas famílias, características, ministério, e vida como esposas, donas de casas e mães. Nesta indicação de leitura, me deterei apenas em uma delas: Sara Edwards.

Sarah nasceu em 9 de janeiro de 1710, em New Haven, Connecticut. Seu pai era pastor, e foi um dos fundadores do Yale College e uma autoridade proeminente na igreja da Nova Inglaterra.

“Como filha de uma das famílias mais distintas de Connecticut, Sarah teve a melhor educação que uma mulher daquele tempo poderia receber. Aperfeiçoou-se nas habilidades refinadas da sociedade. As pessoas que a conheciam mencionavam sua beleza e sua maneira de fazer as pessoas se sentirem bem.”

Ela era muito diferente de seu futuro esposo, Jonathan Edwards, que “era introvertido, tímido, inquieto e de pouco falar.” Provavelmente ele a conheceu quando estudava em Yale, a vendo na Igreja em que ela frequentava.

Em uma das gramáticas de grego de Jonathan foram encontradas algumas palavras sobre Sarah que ele mesmo escreveu:

“Dizem que em [New Haven] existe uma moça amada do Grande Ser, Aquele que criou e governa o mundo. Dizem que em certos períodos este Grande Ser vem ao encontro desta moça e, de uma maneira invisível, enche-lhe os pensamentos com extraordinário deleite; e que ela dificilmente se interessa por qualquer outra coisa, exceto meditar nEle... [Você] não pode persuadi-la a fazer qualquer coisa errada ou pecaminosa, ainda que prometa dar-lhe o mundo inteiro, pois ela receia ofender a este Grande Ser. Ela possui muita doçura, tranqüilidade e total benevolência de pensamento; especialmente depois que este Grande Deus se manifestou a ela. Às vezes, anda de um lugar a outro, cantando com doçura; e parece estar sempre cheia de alegria e gozo... Ela ama estar sozinha, passeando pelos bosques e campos, e parece ter Alguém Invisível sempre a conversar com ela.”

Os dois passaram a conversar e caminhar juntos, e então se casaram em 1727.

Embora possuíssem diferentes personalidades e grandes contrastes, Sarah se esforçava continuamente para que seu esposo pudesse se dedicar aos estudos e ministério em sua casa, tentando de todas as formas criar um lar feliz.

“Não é fácil viver com um homem assim. Mas Sarah encontrou meios de construir um lar feliz para ele. Ela o assegurou de seu amor constante e criou uma atmosfera e uma rotina, nas quais ele gozava de liberdade para pensar. Ela entendia que, quando ele estava absorto em um pensamento, não queria ser interrompido para jantar. Compreendia que suas sensações de alegria ou tristeza eram intensas.”

Eles tiveram onze filhos, e Sarah tinha como dona de casa muitas responsabilidades.

“Em nossas casas modernas, com aquecedores centrais, é difícil imaginar as tarefas que Sarah tinha de fazer ou delegar: quebrar gelo para tirar a água do poço, trazer lenha e acender o fogo, cozinhar e preparar lanches para os viajantes que os visitavam, fazer roupas para a família (desde a tosquia das ovelhas até o tear e a costura), plantar e cultivar, fazer vassouras, lavar roupa à mão, tomar conta de bebês, tratar enfermidades, fabricar velas, alimentar as aves domésticas, supervisionar o abate de animais, ensinar aos meninos tudo que não aprendessem na escola e observar se as meninas estavam aprendendo a realizar as tarefas do lar. Isto era apenas uma pequena porção das responsabilidades de Sarah. Certa vez, quando Sarah estava fora da cidade e Jonathan ficara encarregado das tarefas da casa, escreveu, quase desesperado: ‘Temos vivido sem você, mas ainda não sabemos como fazer isso’”.

Além disso, ela também precisava receber as inúmeras visitas em sua casa com hospitalidade. Samuel Hopkins foi um dos que passou por sua casa e morou com eles um tempo. Ele mesmo relata:

“Quando cheguei, o senhor Edwards não estava em casa, mas fui acolhido com grande gentileza pela senhora Edwards, juntamente com a família, e recebi o encorajamento de que poderia ficar ali durante o inverno... Eu era um tanto melancólico e a maior parte do tempo ficava retirado em meus aposentos. Depois de alguns dias, a senhora Edwards veio... e disse que eu me tornara membro da família por uma temporada e, por isso, estava interessada em meu bem-estar. Observara que eu parecia triste e desanimado e esperava que eu não a achasse intrometida [por causa] de seu desejo de saber e de perguntar-me por que me sentia assim... E eu lhe disse... que estava num estado desesperador, longe de Cristo... e nisto iniciamos uma conversa franca... e ela me disse que havia [orado] a meu respeito desde que eu entrara na família; que confiava que eu receberia luz e conforto e que, sem dúvida, Deus ainda faria grandes coisas através de mim.”

Grande foi a influência que ela exerceu na vida e ministério deste homem, que escreveu acerca do tempo em que esteve em sua casa com boas recordações.

Sarah Edwards era antes de tudo, uma serva de Deus!

“Tensões a respeito de finanças, aflição por ter irritado o marido, ciúmes por causa de outro ministro – tudo isso era real na vida de Sarah. E Deus usou estas coisas para revelar-Se a Sarah [...] E quando vieram sobre ela as sensações quase físicas da presença de Deus, Ele era o mais precioso e amável para ela, por causa do que Ele fez e venceu por ela.”

Quando ela estava na atividade de arrumar as malas para ir morar com seu marido em Princenton, depois de quase três meses sem o ver, recebe a notícia de sua morte. Jonathan Edwards morreu em março de 1758 com rubéola.

Alguns dias depois, ela escreveu para sua filha Esther (cujo marido havia morrido apenas seis meses antes):

“Minha querida filha, que posso dizer? O Santo e bom Deus nos cobriu com uma nuvem escura. Que aceitemos a correção e fiquemos em silêncio! O Senhor o fez. Deus me fez adorar sua bondade, porque tivemos o seu pai por tanto tempo. Mas o meu Deus vive; e Ele possui meu coração. Oh! que legado meu marido, o seu pai, nos deixou! Estamos todos entregues a Deus; e aí eu estou, e gosto de estar.Com carinho, de sua mãe, Sarah Edwards”

Em menos de duas semanas após a morte de seu pai, Esther morreu de uma febre, e neste mesmo ano Sarah também encerrou seu legado aqui na terra. Certamente, sua vida ainda tem inspirado muitas pessoas atualmente, ao lerem e ouvirem sobre sua vida, e uma delas foi eu.

Mulheres fiéis e seu Deus maravilhoso é um livro que nos desafia a olharmos alguns exemplos da história e nos inspirarmos com eles, sendo confrontadas a sermos fiéis ao Senhor, como essas cinco mulheres.

O Deus maravilhoso que atuou em suas épocas é o mesmo Deus hoje - Ele é o nosso Deus! Somente Nele poderemos viver uma vida que O glorifica em cada área dela. Como está a sua vida hoje? Qual o legado que deixarás em tua geração? Não importa se te vês pequenina na história se tens um grandioso Deus. Ele é especialista em usar as circunstâncias simples para a Sua glória! Te desafio a ler este livro e a ser grandemente abençoada.

Informações do livro:
Título: Mulheres fiéis e seu Deus maravilhoso: histórias de cinco mulheres de fé
Autor: Noel Piper
Editora: Fiel
_______________
Thayse Fernandes


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Receba nossas postagens