Alguns estudos afirmam que podemos ter cerca de 70 mil pensamentos por dia. Nessa imensidão está o fruto do que desejamos, sentimos, viv...

A guerra da mente

0 Comentários

Alguns estudos afirmam que podemos ter cerca de 70 mil pensamentos por dia. Nessa imensidão está o fruto do que desejamos, sentimos, vivemos, planejamos, e tantas outras coisas. A essência do que somos está revelada em nossos pensamentos, onde ninguém consegue perscrutar, a não ser Deus.

Como seres pensantes, vez ou outra, nossos pensamentos podem entrar em conflito com a nossa vontade. Podemos andar inquietas por supormos que não somos capazes de controlarmos alguns pensamentos indesejados, porque parecem nos perseguir e não nos deixar enfim, em paz. Em uma destas especificidades, está a intranquilidade causada pelos pensamentos relacionados com o pecado. Como controlar pensamentos que sabemos que nos afastam do Senhor? Como nos manter puras em uma área tão vulnerável e que pode ser tão perturbadora que é a nossa mente?

Uma das maiores guerras que travamos é justamente em nossa mente, uma guerra silenciosa, individual e feroz. Silenciosa, porque ninguém vê nem ouve os ruídos dela, já que está dentro de nós; individual, porque ela é somente nossa; e feroz, porque é uma guerra brutal, que as vezes irá exigir toda a nossa concentração e esforços para a vencermos.

Nossos pensamentos vêm de nosso coração, como disse o Senhor Jesus, “do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos.” (Mc 7:20). Se a nossa mente está doente, então isso significa que primeiramente o nosso coração está doente. Por causa do pecado. Por termos uma natureza depravada, somos bombardeadas por inclinações que não condizem com a vontade do Senhor. Temos uma carne que milita todos os dias contra o espírito (Gl 5:16-17), que nos leva a fazermos o que odiamos (Rm 7:18-19), e cujo final é destruição (Gl 6:8). Quando não alimentamos o nosso espírito, a carne é fortificada, e nos tornamos vulneráveis a cumprirmos os seus desejos e paixões. Porém, quando alimentamos o nosso espírito, estaremos revestidas com a força do Senhor para a vencermos.

A forma com o que gastamos nosso tempo reflete muito no que se passará em nossa mente. Se alimentamos nossos olhos com cobiça, prostituição e impureza, por exemplo, estaremos com a tendência de pensarmos cobiça, prostituição e impureza. Pare e pense um pouco: O que tens assistido na TV, visto na internet, ou lido em livros edifica a tua mente ou te conduz a caminhos que não glorificam ao Senhor? Se qualquer coisa sobre a qual teus olhos tem passado te leva a contemplar pecado, então se afaste dela. Não importa se é algo tão bobo como um filme ou uma mera imagem. É com “coisas pequenas”, que parecem ser inofensivas, que o pecado finca suas raízes e brota todo tipo de mal em nós, começando a atuar na nossa mente. Já dizia o salmista: “Não porei coisa má diante dos meus olhos.” (Sl 101:3)

Também esteja atenta às influências que tens em tua vida. Os relacionamentos que tens cultivado te aproximam do Senhor ou te conduzem a caminhos tortuosos? Observe em tua lista de amigos e colegas, examine as pessoas com quem tens passado tempo e como tens se comportado diante deles, principalmente entre aqueles que não são cristãos.  És aquela que acata tudo o que dizem e até ri com as brincadeiras pecaminosas deles, ou que mantém a sua postura cristã, não importa o que poderão pensar de você? Em alguns momentos, será necessário firmeza para não concordar com tudo, e em outros será necessário se afastar de alguns círculos, a fim de manter a sua pureza e concentrar os seus pensamentos somente no Senhor.

O campo dos olhos e dos relacionamentos são apenas algumas das várias áreas que devemos estar atentas, no que se diz respeito à forma em que temos alimentado as nossas vidas, que refletirá inevitavelmente em nossos pensamentos. Observe como tens vivido a tua vida, e conclua se tens alimentado mais a tua carne ou o teu espírito, a fim de venceres o pecado e glorificares ao Senhor.

A forma mais eficaz de vencermos a guerra da mente, porém, é nos alimentando da Palavra e passando tempo com o Senhor! A Bíblia está cheia de versículos que nos aconselham quanto a isso:

“Gravem estas minhas palavras no coração e na mente; amarrem-nas como sinal nas mãos e prendam-nas na testa.” (Dt 11:18)

“Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de ti os meus mandamentos.” (Pv 7:1)

“Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-as no íntimo do teu coração. Porque são vida para os que as acham, e saúde para todo o seu corpo. Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Pv 4:20-23)

O apelo do Senhor, vindo de sua graça, para todos os seus amados filhos, é que eles guardem no seu íntimo a sua Palavra, que escondam, gravem, amarrem, a fim de não esquecerem seus ensinamentos em nenhum momento.

“Escondi a tua Palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Sl 119:11)

Nesta guerra da mente, não conseguiremos vencer se estivermos lutando apenas com as nossas forças. Apenas as nossas convicções não serão suficientes, precisamos de um alicerce mais firme, sobre o qual iremos nos apoiar, sobretudo nos tempos de maiores tentações que possamos enfrentar. Este alicerce é a Palavra de Deus.

Alguns pensamentos indesejados serão inevitáveis, embora tentemos de todas as formas, seremos atacadas no campo da nossa mente. Nestas situações, o temor ao Senhor irá fazer a diferença, com a força que o seu Espírito nos concede. Somos fracas, mas Ele é forte. E Ele está disponível a nos fortalecer Nele!

“Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” (Ef 6:10)

Nossa atitude deverá buscar este fortalecimento, através da Palavra e da oração.

“Orai em todo tempo com toda a oração e súplica no Espírito. Vigiai nisto.” (Ef 6:18)

O Senhor Jesus na oração do Pai nosso, quando ensinava aos seus discípulos como orar, falou sobre tentação:

“Não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal.” (Mt 6:13) 
Você já parou pra pensar que muitas tentações poderiam ter sido vencidas se tivesses pedido ao Senhor que te livrasse delas? Muitas vezes, só oramos depois da tentação vir, mas precisamos orar antes mesmo que ela venha.

O nosso coração está doente e somente no Senhor encontramos a cura que ele necessita. Esta cura está no evangelho do Senhor Jesus. Como afirmou Jeff Vanderstelt¹:

“Em um mundo selvagem, cercado pelos inimigos de nossa alma que procuram nos distrair e destruir, precisamos desesperadamente que as verdades do evangelho sejam aplicadas em nossas mentes diariamente.”

Precisamos nos lembrar do que somos em Cristo: regeneradas e lavadas pelo seu sangue, do que alcançamos com a justificação através de sua morte vicária: libertação do mundo, da carne e de nós mesmas, que implica que somos vitoriosas por causa Dele, e do que seremos pelo poder da sua ressurreição: com corpos glorificados, ressuscitadas e livres de vez da presença do pecado, reinando para sempre com Ele.

Em Cristo, temos o perdão que carecemos, ainda que tenhamos caído tantas vezes, por isso, não desanimemos, irmãs. Cristo levou sobre si todos os nossos pecados e está a interceder por nós, como sumo sacerdote que se compadece das nossas fraquezas, que nos ajuda em todas elas.

Aplique essas verdades diariamente. Medite nelas em todo tempo, e não permitas que te digam que és derrotada. Cristo já conquistou a nossa vitória e nos deu da sua vida, para nos mostrar que não há guerra que não possa ser vencida, no poder que há Nele.


Thayse Fernandes
_______________________
¹ Fonte: www.desiringgod.org/articles/how-to-win-the-war-for-your-mind



Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Receba nossas postagens