Para muitas pessoas, Filipenses 4.13 tornou-se um versículo que evidencia o quão bem-sucedidos podemos ser, tendo em vista que é Cristo...

Confiando em Deus em tempos de escassez

0 Comentários

Para muitas pessoas, Filipenses 4.13 tornou-se um versículo que evidencia o quão bem-sucedidos podemos ser, tendo em vista que é Cristo quem nos fortalece. A verdade é que realmente podemos confiar em Deus quando se trata da busca por dias melhores, mas não é só isso. Paulo quando escreve aos filipenses não menciona apenas momentos de fartura e sucesso que pôde vivenciar enquanto cumpria seu ministério, pelo contrário, ele recomenda à igreja de Filipos que se alegre no Senhor mesmo diante das circunstâncias adversas.

Nesse sentido, podemos destacar o que antecede o tão citado versículo 13:
Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Filipenses 4.12-13
Paulo agradece a oferta recebida dos filipenses, mas destaca que aprendeu a se adaptar a qualquer circunstância. Tudo bem. Entendemos que a vida cristã não nos isenta de passar por momentos difíceis e de escassez, mas o que fazemos quando, assim como Paulo, vivemos esses momentos? Estamos sujeitos aos mais diversos tipos de aflição, em todas as áreas, inclusive, na financeira. O dia mau também chega para o nosso bolso.

No mundo em que vivemos, a vida de muita gente gira em torno de uma busca desenfreada por dinheiro e poder. Dessa forma, acabamos por desejar a segurança que os recursos financeiros podem trazer e correr em direção à tão sonhada “estabilidade financeira”. Buscar uma boa condição e se esforçar para isso não é errado ou ruim, desde que esse objetivo não tome o seu coração. O livro de Eclesiastes nos lembra:
Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade. Ec. 5.10
O apóstolo Paulo escreve a Timóteo sobre a importância do contentamento e adverte:
Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. 1 Timóteo 6.10
Ainda que busquemos de maneira sábia determinado nível de segurança financeira, em algum momento iremos nos deparar com a necessidade. Seja por causa da falta de um emprego, a privação da realização de alguma atividade por falta de recursos, gastos imprevistos, escolhas erradas, circunstâncias desfavoráveis ou até mesmo algum tipo de injustiça. A limitação financeira pode nos tirar até mesmo aquilo que consideramos como básico, ainda assim, por mais que enfraqueçamos na escassez, Cristo é a nossa fortaleza.

A segurança financeira que podemos conquistar é desprezível quando não confiamos em Deus. Ter todo o dinheiro capaz de suprir as nossas necessidades terrenas não suprirá as nossas necessidades mais profundas. Confiar e depender do Senhor é o que nos manterá de pé estando o nosso bolso cheio ou vazio, quer estejamos fartos ou com fome, necessitados ou em abundância.

O nosso contentamento deve focar-se apenas em Deus, pois quando estamos satisfeitos nEle, tudo o mais que venha a nos faltar é mínimo diante do que já temos. A insatisfação, a ingratidão nos impede de desfrutarmos das dádivas de Deus, pois sempre estamos querendo além do que nos foi dado. Tememos perder os tesouros terrenos e esquecemos de que Cristo é o nosso verdadeiro tesouro. Que o Senhor nos ensine a não andarmos ansiosos por coisa alguma e a apresentarmos os nossos pedidos a Ele. Nosso pai nomeia as estrelas, move as ondas, direciona o vento, cuida das aves do céu, veste a erva do campo e cuida da vida do homem, que também é erva. Confiemos no Senhor e somente nEle!

Parafraseando o que C. S. Lewis diz a respeito da confiança nos homens:
 Nunca deposite toda a sua fé no dinheiro, mesmo que seja muito, bem mais do que você precisa. Existe uma porção de coisas interessantes que você pode fazer com a areia; mas não vá construir uma casa sobre ela. ¹
Que a escassez e a dificuldade não nos faça desejar sermos servos do dinheiro, mas que possa nos fazer enxergar que tudo o que temos é a Cristo, e ele é suficiente.
O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. Filipenses 4.19

Juliany Correia

¹ LEWIS, C.S. Cristianismo Puro e Simples. São Paulo: Martins Fontes, 2014, p. 252



Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Receba nossas postagens