A força que opera em minha fraqueza



A fraqueza certamente é algo que não nos gloriamos. Quem gosta de ser chamado de fraco em qualquer aspecto de sua vida? Ao contrário disso, gostamos do que nos faz sentir fortes. Termos como "a mais inteligente", "a mais bonita", "a mais simpática" são agradáveis aos nossos ouvidos; já termos como “a menos isso” ou “a menos aquilo” consideramos inaceitáveis.

 

Ninguém gosta de ser chamado de fraco, porque a fraqueza nos humilha, maltrata o nosso ego e nos faz sentir a pequenez. Gostamos de nos sentir importantes e necessárias, porém, muitas vezes haverá circunstâncias que nos farão sentir exatamente o contrário, e sabemos disso. Quantas vezes nos sentimos pequenas, incapazes, limitadas? Quantas vezes já tentamos de tudo para apenas perceber no final que não sabemos de nada, que não temos força suficiente e que somos o que não gostamos de ser, fracas?!

 

A boa notícia é que o Senhor se agrada de quem sabe que é fraco o suficiente para depender integralmente Dele. Deus não se agrada de quem acha que é autossuficiente. Ele se agrada de quem se humilha, que sabe que não é forte, mas vulnerável e limitado. Porque é somente quando agirmos dessa maneira que Ele mostra de uma maneira mais eficaz o Seu poder.

 

Deus não precisa de capacitados, Ele escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes (I Co 1:27) e mostrar que é Ele quem faz. Que é Ele quem tem o controle e que somente Ele merece a glória pelo que Ele é.

 

Você se sente fraca? Espante-se com o que Deus poderá fazer através de sua fraqueza. Você se sente forte? Se humilhe diante de Deus e peça que Ele te faça enxergar sua própria fragilidade.

 

Só existe um que é forte, mas não somente isso, Ele é todo poderoso e soberano, assentado sobre os mais altos céus e servido por miríades de anjos, exaltado sobre e pela criação. Somente um merece glória!

 

Não devemos dar glória a ninguém, e isso inclui a nós mesmos. Porém, não sem luta, é contra o nosso orgulho natural que vem todos os dias e que nos leva por caminhos que não agradam a Deus. É uma guerra espiritual contra nós mesmos, e só vence quem entende que não consegue vencer à parte de Deus.

 

O Senhor é o auxílio na luta contra nós mesmos. Ele permitirá que circunstâncias nos tirem de nosso conforto e esvaziem as nossas forças, nos levando ao lugar onde vemos que não tem saída, que não sabemos o que fazer, acarretando em desespero e demasiada tristeza.

 

Ninguém gosta de sofrer. Ninguém gosta de dor. Se pudéssemos tiraríamos da nossa vida e das pessoas que amamos o sofrimento. Mas, às vezes, será necessário que o soberano interrompa nossos planos para que um propósito maior se cumpra em nossas vidas, para que enxerguemos nossa fraqueza e vulnerabilidade e aprendamos a depender Dele. Deus está mais interessado com o nosso caráter do que com o nosso conforto. Ele está mais interessado em nos livrar de nós mesmos e produzir o caráter de Jesus em nós. Em nos fazer entender que quando estamos fracos é que somos fortes, que a força deste mundo não é de grande valia, mas que é a fraqueza que estará produzindo algo em nós.

 

Em II Coríntios 12 vemos o apóstolo Paulo diante de algo que ele chama como espinho na carne. Não temos detalhes do que seria, mas entendemos que era algo que certamente o fazia sofrer. Paulo orou três vezes para que o Senhor o tirasse, e Ele não tirou:

 

“Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. Mas ele me disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (II Co 12:8-9)

 

Deus não tirou o espinho de Paulo, mas o deu graça suficiente para suportá-lo. Por que Ele não o amava? Justamente porque amava. Havia um propósito para seu espinho na carne, conforme suas próprias palavras: “para impedir que eu me exaltasse” (II Co 12:7). Deus estava produzindo em seu servo humildade. Paulo aprendeu a depender inteiramente da graça que era suficiente para sua vida e a não se exaltar pela grandeza das revelações que tivera. Paulo aprendeu, embora de uma dura forma, a confiar no poder de Cristo que operava através de suas fraquezas.

 

Deus nunca permitirá algo que não possamos suportar (I Co 10:13). Às vezes, permitirá espinhos em nossa carne para nos lembrar de que somos fracas. O que fazemos com as nossas fraquezas é o que fará toda a diferença. Andaremos amarguradas contra Deus, enclausuradas em nosso próprio entendimento do que é ou não melhor pra nós e descontentes com sua forma de agir? Ou aceitaremos de bom grado as nossas fraquezas por entendermos que existem propósitos nelas, e que o maior deles é ver o Senhor glorificado através de nossas vidas?

 

"O propósito de Deus para o sofrimento é que ele magnifique a excelência e o poder de Cristo. Isso é graça, porque a maior alegria para nós, cristãos, é ver Cristo engrandecido em nossas vidas " (John Piper)

 

É claro que nossa alegria não está no sofrimento, mas em entendermos o propósito dele. E se for para Cristo ser engrandecido, que importa o que eu passe nesta vida? Nada é sobre mim, mas sobre Ele, por meio Dele e para Ele, incluindo o meu viver.

 

“Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.” (II Co 12:9-10)

 

Paulo parou de lutar contra Deus. Ele disse sim ao processo, aceitou de bom grado suas fraquezas e confiou. Ele amava a Cristo mais do que sua própria vida.

 

E quanto a nós, amamos a Cristo? Amamos mais a graça do que o nosso conforto? Precisamos pedir a Deus que tire nosso coração das coisas erradas e que nos ajude a pensar como Ele pensa e a amar o que Ele ama.

 

Talvez você não se sinta forte neste momento. Talvez se sinta exatamente fraca e impotente para muitas coisas. Quando o que tem em sua frente parece ser tão grande e em sua pequenez você recua e tenta argumentar contra Deus que não vai conseguir. Todavia, precisamos entender que Deus usa as coisas fracas! Deus escolhe as coisas fracas! Alegre-se porque Ele não olhou para o seu currículo e habilidades, Ele simplesmente amou você.

 

“Quanto mais fraco o instrumento humano, mais claramente brilha a graça de Deus.” (John MacArthur)

 

Nenhuma de nossas fraquezas escapou à atenção de Deus. Ele usará sim nossos pontos fortes, porém "a graça de Deus é mais claramente vista e saboreada em nossas fraquezas do que em nossas forças." (John Piper). Ele nos dará a Sua força, e é a força dele que operará em nossas fraquezas!

 

“O Senhor não está procurando sua força, coragem ou dons naturais; ele quer que você confie nele." (Vaneetha Rendall)

 

"Deus vê o que somos nele, não em nós mesmos." (Vaneetha Rendall)

 

Desejo encorajá-la a enxergar as coisas por uma perspectiva diferente. A parar de reclamar do que pode ou não fazer, do que é ou não capaz. E a entender que Deus se agrada de que você dependa Dele e não de sua própria força humana. Ele deseja que você se prostre ao invés de continuar tentando do seu jeito,  que se entregue ao invés de se afastar Dele e que receba a Sua força em sua fragilidade.

 

Thayse Fernandes

Um comentário:

  1. Maravilhosas palavras, que texto excelente!que Deus continue capacitando e sendo inspiração para que textos como esses sejam publicados.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.