Kevin deYoung é pastor da university Reformed Church em East Lansing, Michigan, preletor em conferências teológicas, blogueiro na página...

Indicação de livro: “Super ocupado” - Kevin deYoung

0 Comentários

Kevin deYoung é pastor da university Reformed Church em East Lansing, Michigan, preletor em conferências teológicas, blogueiro na página do ministério The Gospel Coalition, escritor de livros; além de filho, marido e pai. A indicação de hoje é um de seus livros: Super ocupado.

Neste, o autor inicia relatando enfaticamente o quanto tem estado ocupado durante vários anos de sua vida, e que escrever este livro era uma demonstração de que ele desejava crescer nessa área, pois usando as suas palavras: “não quero manter o mesmo ritmo durante a vida inteira.”

O estar ocupado é um tema bastante relevante, por ser uma questão não apenas do Kevin, mas também minha e sua. Quantas vezes nos sentimos tão cheias de tarefas e responsabilidades que pensamos que o que de fato precisávamos era de férias?! Vale a pena então conhecer um pouco desse precioso livro, e mais, vale a pena lê-lo.

Ele está dividido da seguinte maneira: Olá, Meu nome é: “Super Ocupado”! (capítulo 1), Três perigos a evitar (capítulo 2), sete diagnósticos a considerar (capítulos 3 a 9) e uma coisa que se deve fazer (capítulo 10).

Argumentos são desenvolvidos pelo autor para nos alertar de que há perigos em ser um super ocupado.

“Quando estamos ocupados como loucos, colocamos em risco nossa alma. O desafio não é apenas desaparecer alguns maus hábitos. O desafio é impedir que as nossas vidas espirituais desvaneçam. Os perigos são sérios e crescentes. Poucos entre nós estão tão seguros quanto pensamos.”

Estar ocupado demais pode, segundo o autor, roubar o nosso coração e encobrir a podridão de nossa alma. Porém, não é no estar ocupado que está a raiz do problema:

“Especialmente por sermos cristãos, devíamos saber melhor, pois entendemos mais profundamente que o problema não é nossa agenda ou a complexidade do mundo - alguma coisa não está certa conosco. O caos é pelo menos parcialmente autoengendrado. A desordem da vida diária é produto de desordem nos recônditos mais interiores do coração; As coisas não são como elas deveriam ser porque nós não somos como devíamos ser. Isso significa que a nossa compreensão de ocupados demais deve começar com o pecado que gera tantos outros pecados em nossa vida: orgulho.”

A partir daí, algumas demonstrações de como o orgulho está relacionado com a nossa super ocupação são descritas no livro. O estar cercado de manifestações de orgulho é apenas o primeiro dos sete diagnóticos descritos nele.

Algumas vezes em nossas vidas teremos de, assim como Jesus, saber diferenciar entre o que é urgente e o que é importante. Ser leais com as nossas prioridades, e não tentar fazer tudo o que nos vem pela frente. Precisamos entender que somos limitadas e que o tempo é um recurso finito.

“Mas, de alguma maneira, vivemos como se o tempo não tivesse limites, quando na verdade nosso tempo é muito mais limitado do que o nosso dinheiro. as riquezas podem ser criadas, mas ninguém tem a capacidade de fazer crescer mais tempo [...] O tempo poderá ser nosso recurso mais raro e precioso. E nós começamos a utilizá-lo bem somente quando reconhecemos que não existe um estoque infinito a ser usado.”

Por isso que:

“No mundo real de tempo finito, muitas vezes teremos de discernir entre o bom e o melhor, dentre aquilo que realmente é o melhor.”

As pessoas que mais aproveitam o seu tempo são aquelas que entendem que ele é um recurso finito, e que não são capazes de fazer tudo.

“As pessoas desse planeta que acabam fazendo nada são as que jamais perceberam que não poderiam fazer tudo.”

No capítulo 8 vai estar o sexto diagnóstico, algo importante que eu ainda não tinha atentado: Precisamos descansar. Deus criou o homem como uma criatura física. Kevin o conclui da seguinte maneira:

“Eu não sou tão importante no universo de Deus a ponto de não ter condições de descansar. Mas, minhas limitações, dadas por Deus, são tão reais que não ouso não descansar.”

O descanso é necessário para que possamos fazer as coisas e servir às pessoas de uma forma mais eficiente.

O último capítulo trata da única coisa que temos que fazer: Sentar aos pés de Jesus. Deus é digno de que Ele seja a nossa maior prioridade!

“Não gosto de sobras. Mas é o que oferecemos a Deus quando não mantemos as primeiras coisas em primeiro lugar.”

Enquanto Deus não for o foco maior das nossas vidas, elas permanecerão desorganizadas.

“Não reorganizaremos as nossas prioridades até que realmente creiamos que sentarmos aos pés de Jesus é a melhor parte de todas.”

Como uma leitura agradável, uma linguagem simples e tantos ensinamentos importantes, eu não poderia deixar de indicar este livro para as amadas leitoras. Como descrito em seu subtítulo, ele é um livro misericordiosamente pequeno sobre um problema realmente grande. Problema este que todas precisamos aprender a lidar.

Não é pecado ter muitas coisas para fazer, o autor ressalta isso, pois é possível estar envolto de muitas tarefas e ainda não se sentir um super ocupado. É possível termos uma agenda cheia e ainda honrarmos ao Senhor! Além disso, Ele pode nos sustentar em meio a toda a nossa super ocupação.

Assim, concluo a indicação deste livro, mas com as palavras do Kevin:

“Deus pode lidar com a pressão; Não se surpreenda quando tiver de enfrentar semanas de toda espécie de loucura. E não se surpreenda quando Deus o sustentar em meio a todas elas.”


Informações do livro
Título: Super ocupado: um livro (misericordiosamente) pequeno sobre um problema (realmente) grande.
Autor: Kevin deYoung
Editora: Fiel
____________________
Thayse Fernandes



Você também pode gostar

Nenhum comentário: