O ser humano se locomove numa assídua busca por felicidade.  Todas nós, sem exceção, desejamos nos sentir bem com nós mesmas, com as p...

O caminho à felicidade



O ser humano se locomove numa assídua busca por felicidade. Todas nós, sem exceção, desejamos nos sentir bem com nós mesmas, com as pessoas à nossa volta e com a realidade que nos cerca. Ninguém chama por dificuldades e dores em sua vida. Ninguém enche os olhos de brilho mediante problemas e adversidades.

Todavia, de maneira súbita somos açoitadas por diversas situações que não estávamos preparadas; independente de nossos esforços, alheias à nossa vontade, e quando isso acontece nosso ânimo oscila, nossa motivação desaba, nossos sonhos se tornam distantes e nosso coração é tomado por um vazio de significado.

Nossa busca parece regredir e pensamos até em desistir de nós mesmas, e quando não, de tudo. Nossa vontade é jogar as rédeas do nosso barco e nos lançar aos marasmos da vida. Mas, ainda assim, como uma espécie de luz no fim do túnel, temos a esperança de encontrar essa tal felicidade, mesmo com tantos obstáculos no caminho.

A verdade é que a nossa vida sempre permanecerá em vazio e sem significado, enquanto não fizermos de Deus o nosso tudo.

Andaremos atrás de mais e mais atrativos, mas passando eles nada muda, a não ser o mesmo vazio que parece aumentar dentro de nós.

Nada pode preencher o coração humano além de Deus. Foi Ele quem o criou e somente Ele tem o que pode saciar a sede insaciável da alma, porque somente ELE É o que pode saciar a sede de nossa alma. Deus colocou no coração dos homens uma exímia necessidade por Ele mesmo. Enquanto os homens não entenderem isso, permanecerão escassos, buscando tantas coisas mas sem nada a preenchê-los.

Não somente nos sentiremos vazias, mas tudo a nossa volta parecerá perder o significado, olharemos para o que construímos, para as pessoas à nossa volta, para tudo o que temos e nos sentiremos ainda fadadas, supondo que por não termos mais alguma coisa que ainda não nos sentimos plenas.

Olhamos para as coisas, pessoas e tudo o que temos como um meio de extrairmos felicidade, como nossos supridores da alma. Em outras palavras, olhamos para elas como o nosso deus. Por isso nunca nos sentimos satisfeitas, pois as coisas e pessoas não têm a capacidade de nos proporcionar plenitude.

"Na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra delícias perpetuamente." (Sl 16:11)
Deus tem tudo o que precisamos, Seus filhos vivem a se banquetear de fartura em Sua presença; absolutamente de nada têm falta.

"A minha alma se fartará, como de tutano e de gordura..." (Sl 63:5)
"Os leõezinhos têm necessidades e passam fome, mas não faltará bem algum aos que buscam o Senhor." (Sl 34:9)
Não importam as circunstâncias que estás enfrentando, podes encontrar alívio na presença do Senhor. Ele nos proporciona tudo o que precisamos para não desanimarmos, mas sempre estarmos firmes, ainda que em meio às piores adversidades.

A alegria que encontramos através de Sua graça é incomparável. Ele nos faz plenas, sem necessidade de termos mais alguma outra coisa para sermos felizes. Quem está em Cristo já encontrou a felicidade, logo, ele não precisa a buscar em outro lugar.

"Quem mais e tenho no céu, senão a ti? E na terra não desejo outra coisa além de ti." (Sl 73:25)
O convite desta semana é esse: venha se alegrar em Deus! Desista de todos os seus meios, de todas as suas tentativas de ser feliz à parte Dele, O busque intensamente até que o seu coração seja preenchido pela Sua presença. Como são felizes aqueles que O temem, eles sim são felizes, pois a própria felicidade está neles!
  
Thayse Fernandes



Você está respirando. Então, tenho que dizer-te: há esperança. Quando falo acerca de esperança, não estou lhe assegurando uma vida sem ...

Há Deus, há Esperança, há Vida


Você está respirando. Então, tenho que dizer-te: há esperança. Quando falo acerca de esperança, não estou lhe assegurando uma vida sem dores e lamentações. Pelo contrário, estou afirmando que enquanto você estiver andando pelas calçadas de sua cidade, enquanto estiver lendo bons livros, construindo amizades, conversando com a sua família, preparando o jantar ou se arrumando para ir ao trabalho, os dias lhe trarão angústia. Mas, esta angústia nunca terá o poder de invalidar quem está ao seu lado. A companhia ao longo do caminho traz esperança. 

Um jovem rapaz parte do lugar onde vive em busca de sua terra natal, até então desconhecida por ele. Após algum tempo de viagem,...

Na estrada da providência divina




Um jovem rapaz parte do lugar onde vive em busca de sua terra natal, até então desconhecida por ele. Após algum tempo de viagem, descobre planos de uma invasão covarde contra o lugar para onde está indo. Durante o percurso, vários obstáculos surgem: ele se perde dos amigos, é perseguido por leões, enfrenta o calor e a sede ao atravessar um deserto e, no final das contas, quando estava quase onde deveria estar, sente-se um desgraçado.

“Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, qu...

Um ministério chamado reconciliação



“Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou à palavra da reconciliação.” 2 Coríntios 5:18-19

Ultimamente tenho voltado a alguns escritos de John Owen. Este experimentado teólogo puritano tem se destacado quando o assunto é tentaç...

A guerra que há em mim


Ultimamente tenho voltado a alguns escritos de John Owen. Este experimentado teólogo puritano tem se destacado quando o assunto é tentação e mortificação do pecado. Talvez ninguém tenha exposto com tanta profundidade o ensino bíblico dessas questões quanto Owen. O doutor J. I. Packer escreveu:

A humanidade aprendeu ao longo dos séculos que o prazer é algo essencial, sendo, portanto, indispensável. Uma vida que não seja ado...

Mergulhe em um alegre sofrimento


A humanidade aprendeu ao longo dos séculos que o prazer é algo essencial, sendo, portanto, indispensável. Uma vida que não seja adornada por puro prazer não vale a pena ser vivida. Para alguns, a busca pelo prazer imediato e de acordo com os seus interesses pessoais se tornou o combustível principal que movimenta a existência. Sofrer, em contrapartida, é tido como algo medonho. Uma vida que seja repleta de sofrimento não é digna. Algumas pessoas não aguentam o mínimo de sofrimento, e a vulnerabilidade que a vida proporciona já as assusta.

Quando pensamos em sofrer, logo imaginamos algo terrivelmente solitário e muitas das vezes uma experiência sem propósitos. Graças a Deus, que mesmo vivendo em um mundo contemporâneo em que estamos quase a ponto de vender o prazer em pequenos frascos por preços exorbitantes, nós nos mantemos firmes na certeza que mesmo em meio à felicidade ou extrema angústia, a nossa vida é repleta de sentido. Deus nos assegura que tanto o prazer, o deleite, a alegria, quanto a tristeza, a dor e o sofrimento fazem parte do pacote chamado vida. O nosso sofrimento não é em vão. O sofrer não nos tira o propósito, pelo contrário, enche de sentido a nossa vida que não está acontecendo ao acaso. Nós temos um Guia que tem planos para o nosso sofrimento.

O nosso sofrimento, as nossas lágrimas e noites mal dormidas olhando para o teto de nossa casa pode ser a alegria futura de outrem. Isso não deveria nos causar surpresa. A Bíblia nos relata várias histórias em que algumas personagens sofreram bastante para assegurar uma alegria indescritível para outras pessoas. A longo ou curto prazo, as suas dificuldades podem trazer grande alívio e cura de alma para homens, mulheres e crianças que talvez você nunca conhecerá. Isso acontece pelo fato de que você é uma participante da Grande História que o seu Deus escreveu. E, como um bom Autor, ele sabe cruzar histórias e provocar grandes desfechos.

A história que nos é contada em 2 Reis 5 não apenas narra a história de um grande comandante do exército da Síria que também era leproso e teve que se banhar em um rio que, na sua opinião, era meio sujo para alguém tão poderoso. Todos nós sabemos da tamanha dádiva recebida por Naamã. Contudo, essa história narra um pouquinho da vida de uma menina que fora viver distante de seu país de origem e servir na casa de pessoas com um bom status. Nós também sabemos que essa menina foi diretamente usada por Deus para que o seu senhor, Naamã, fosse curado tanto da lepra como da alma.

Às vezes, não consideramos o que aconteceu na vida dessa moça. Atente para o fato de que  houve guerras entre Israel e a Síria. Em uma delas, essa menina que não tem o seu nome mencionado e nem a idade que tinha na época, foi levada cativa pelos sírios. Outras grandes personagens da Bíblia passaram por uma situação semelhante, como Daniel e os seus amigos que foram levados para a Babilônia. As Escrituras não nos falam em detalhes como ocorreu essa guerra, nem como a menina foi levada até o outro país. No entanto, nós sabemos muito bem como estas coisas acontecem. Há sangue, perdas, pranto, dor. Acredito que essa menina viu muitas pessoas amadas partirem sem ao menos um adeus. Provavelmente, ela não se despediu de seus pais antes do exército a levar. Houve um grande sofrimento na história de vitória de Naamã. Houve uma história anterior, uma tragédia, para sermos sinceras.

Olhemos para nós agora. Vejamos nossas próprias histórias. Nós sofremos, e isso definitivamente não é uma novidade. Mas, há uma verdade que às vezes não consegue adentrar em nossos corações egoístas e orgulhosos: Deus pode usar o nosso sofrimento para produzir a alegria de outrem. A dor sentida pela serva de Naamã cooperou para o bem daquela família. Deus usou uma adolescente do seu povo escolhido para abençoar um homem que não fazia parte de Israel - que não era do povo. Provavelmente, em algum momento da história, a dor que você sente agora abençoará outras vidas e encherá rostos de largos sorrisos. As suas presentes lágrimas estão regando um campo que ficará verde e pronto para a colheita. Ore para que o seu sofrimento produza alegria.

Hellen Juliane

Receba nossas postagens