Existem vários tipos de feridas que nos acometem enquanto humanos. Um deles, que acredito que é o pior tipo, são as feridas da alma. Ela...

Feridas da alma

0 Comentários

Existem vários tipos de feridas que nos acometem enquanto humanos. Um deles, que acredito que é o pior tipo, são as feridas da alma. Elas não se curam com remédios ou mecanismos humanos. Elas doem no coração, e dependendo da intensidade em que foi gerada e de quem a gerou, podem perpetuar conosco durante muitos anos.

Às vezes achamos que somos os únicos que sofremos com marcas que nos foram deixadas na vida. Porém, quem nunca se sentiu ofendido com uma palavra dita, ou com uma atitude inesperada de alguém que se ama? Quem nunca se sentiu traído ou rejeitado por pessoas? Quem nunca foi magoado por alguém? Feridas existem porque, primeiramente, relacionamentos existem.

Com o rompimento da relação do homem com Deus, a relação entre homem e homem também foi afetada. O mundo em si foi infectado pelo pecado e nisto está inclusa a forma das pessoas se associarem entre si.

Por sermos pecadores e por estarmos nos relacionando com outros pecadores, em um mundo caído, não podemos esperar perfeição em nossas relações. Somos seres vulneráveis a sermos feridos, e a ferirmos também.

Às vezes mascaramos a nossa dor por trás de um exterior que parece estar bem. Ocultamos no mais profundo do nosso coração as feridas que talvez ninguém saiba que existe, mas que estão ali, enclausuradas em nosso íntimo, tornando a nossa vida infeliz.

Todavia, o Senhor Deus nos sonda e conhece o nosso interior. Ele conhece as nossas feridas, e as contempla! Ele não está apático nem distante da nossa dor, antes, se compadece de nós.

"Pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade." (Hb 4:14-15)

O próprio Deus se tornou um de nós, e veio ao nosso mundo, passando por coisas semelhantes a que nós passamos, de forma que Ele é o nosso Sumo sacerdote, que se compadece das nossas fraquezas.

Ele nos entende perfeitamente! Ele sabe exatamente o que passamos, pensamos e sentimos, porque Ele também foi humano e viveu coisas semelhantes às nossas.

Podemos, então, nos aproximar Dele com segurança e ousadia a fim de encontrarmos graça em momentos oportunos. Podemos colocar diante Dele todas as nossas feridas, sabendo que podem até sangrar, mas Ele não irá nos rejeitar, nem muito menos irá ser surpreendido com qualquer coisa que o dissermos.

O Senhor Deus não é como as pessoas. Elas podem nos decepcionar, mas Ele nunca irá fazer isso. As pessoas podem nos ferir, mas ao contrário delas, Ele vem ao encontro de nossas feridas para trazer a cura que somente Ele pode oferecer.

E mais do que isso, o Senhor também possui feridas! Como diz um trecho de um poema:¹

"Outros deuses eram fortes, mas tu eras fraco,
Eles cavalgaram, mas cambaleaste até o trono;
Somente Deus pode falar com as nossas feridas,
E nenhum Deus possui feridas, além de ti."

Nunca em toda a história se ouviu falar de um deus que fizesse o que o nosso Deus fez. Vale destacar que os sofrimentos ocasionados em Jesus não foram por falha ou merecimento Dele, mas por causa dos nossos pecados.

"Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." (Is 53:5)

Das feridas de Jesus provém cura para as nossas feridas que foram abertas por causa do pecado. Ele tem o remédio certo, e Ele é o médico por excelência de corações que foram esmagadas pelas consequências da depravação humana. Somente Jesus pode curar as nossas almas! Porque Ele foi ferido para que pudessémos ser sarados. Ele morreu para que pudessémos ter vida!

Eu não sei a dimensão de suas feridas, nem conheço quais são elas. Mas, eu conheço uma Pessoa que as conhece, que também é o médico que pode curá-las. Quando isso acontecer, à semelhança Dele, você poderá oferecer perdão àqueles que te ofendem. Poderás, assim como Ele, interceder por aqueles que te açoitam e te zombam, e lavar os pés daqueles que te traem. Foi o que Jesus fez conosco!

São reações difíceis demais para nossa natureza, porém, quando permitirmos Jesus falar com as nossas feridas, Ele irá nos dar mais das características Dele, e nos moldar ao Seu caráter. Ele nos dará capacidade para O glorificarmos, mesmo nas situações mais difíceis que enfrentarmos.

E das feridas que temos hoje, Ele fará vir amanhã cicatrizes, que representam as marcas que ficam como lembrança de que fomos sim feridos, mas também como sinal de que conseguimos vencê-las! Poderemos mostrar as pessoas as nossas cicatrizes, a fim de apontar que existe cura no Senhor, e de exaltá-Lo a partir das nossas fraquezas. Poderemos ajudar pessoas que estarão passando pelas mesmas coisas que passamos e consolá-las com a mesma consolação que recebemos um dia do Senhor.

Você pode escolher como irás responder àqueles que te machucaram - se com ódio, amargura e vingança; ou se com amor, cura e exaltação ao Senhor!

Ao escrever estas palavras, me recordo de um exemplo grandioso entre a criação de resposta à dor. São as ostras. Quando uma substância estranha ou indesejável entra em contato com o corpo da ostra ela reage produzindo uma substância chamada madrepérola. Com o tempo, a madrepérola vai sendo revestida até uma pérola ser formada. Então, a formação de pérolas é um mecanismo de defesa natural da ostra em resposta a um corpo estranho que advém a ela. Podemos aprender com isso. As ostras reagem aos invasores produzindo pérolas!

Como temos reagido às feridas abertas em nossos corações? Como temos respondido aos que nos irritam, magoam e ofendem? Que possamos produzir pérolas!

“...pois ele é o nosso eterno abrigo." (Is 26:4)

Que nos momentos mais sombrios de dor, possamos correr para os braços do nosso Pai, pois Ele é o nosso abrigo seguro e é quem enxuga as nossas lágrimas. Ele é quem nos concede da Sua graça para que sejamos capazes de estendê-la para os teus relacionamentos, até o dia em que estaremos todos felizes, com todas as nossas dores saradas, ao Seu lado, para sempre.

Thayse Fernandes
_______________

¹ “Jesus das cicatrizes”, Edward Shillito (1872-1948).



Você também pode gostar

Nenhum comentário: