A oração ocupa um lugar de extrema importância na vida cristã, embora qualquer cristão possa concordar com isso sem hesitar, nossas vida...

Você precisa orar, acredite!

0 Comentários

A oração ocupa um lugar de extrema importância na vida cristã, embora qualquer cristão possa concordar com isso sem hesitar, nossas vidas mostram que essa é uma das práticas que mais negligenciamos. Essa contradição, de tratar com descuido o que Deus atribuiu grande valor, tem nos causado grandes prejuízos, a exemplo da estagnação espiritual que acarreta a queda em vários pecados.

A oração é um privilégio e um dever, privilégio porque como escreveu R. C. Sproul:

“É nosso privilégio trazer a inteireza de nossa existência à glória da presença infinita de Deus.”1
E um dever porque a Escritura nos ordena:

“Orem continuamente.” (I Tes 5.17)
“Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus.” (Fil 4.6)
Deus deseja ser glorificado em nossas vidas e a oração, como tudo mais na vida cristã, é para Sua glória e para o nosso bem. Mas infelizmente esse santo dever é muito mal compreendido pelos cristãos do nosso tempo. Há duas visões extremas e equivocadas sobre esse assunto. Há aqueles que entendem a oração como o poder que pode fazer qualquer coisa, até mesmo mudar os planos de Deus e submetê-lo à vontade humana. A visão que está no extremo oposto é a que Deus sabe de tudo e decretou tudo, portanto, se orarmos ou não as coisas acontecerão. O primeiro grupo ora pelos motivos errados e o segundo grupo não ora porque acha, erroneamente, que não precisa. 

A compreensão bíblica da oração não é muito popular, por isso, corremos o risco de termos nossa visão influenciada em algum grau pelos dois extremos apresentados. Uma questão recorrente quando se trata desse assunto é se a oração pode mudar as coisas. Percebam que as duas visões equivocadas tocam justamente nesse ponto, mas cada uma apresenta um erro diferente: Na primeira perspectiva, o erro está em colocar Deus submisso à vontade humana por meio da oração, e na segunda, em esvaziar a oração de seus propósitos e anular a responsabilidade humana em uma visão fatalista.

A resposta quanto à questão se a oração pode mudar as coisas é sim e não.

Não, porque existem coisas que Deus decretou e que acontecerão independentemente de qualquer coisa, inclusive das nossas orações. Mais uma vez R. C. Sproul nos ajuda a entender isso:

“A Bíblia diz que há certas coisas que Deus determinou desde toda a eternidade. Essas coisas acontecerão inevitavelmente. Se você orasse individualmente, ou se você e eu uníssemos forças em oração, ou se todos os cristãos do mundo orassem coletivamente, isso não mudaria o que Deus, em seu conselho secreto, determinou fazer.”
E sim porque também há coisas que Deus ordenou que devem acontecer por meio das orações dos santos.

John Piper disse:

“Há coisas que acontecem pela oração que sem a oração não aconteceriam”
E também:

“Quando Tiago 4.2 diz:”...e nada tendes, porque não pedis.” Isso não significa que você teria de qualquer maneira mesmo se você não pedisse... O versículo significa o oposto... isso significa que orar faz as coisas acontecerem...”2
“A oração continua a ser um dos grandes e gloriosos mistérios do universo — é incompreensível que o Deus soberano que tem todo o conhecimento e sabedoria ordena o andamento do seu mundo em resposta às nossas orações."3
Além desse aspecto misterioso da oração relacionado aos nossos pedidos e como o Senhor pode usar nossas orações para mudar as coisas nesse mundo, ela também nos beneficia de várias outras formas:

1. A oração muda os nossos corações: além de Deus poder mudar nossas circunstâncias por meio das nossas orações, Ele também transforma os nossos corações enquanto oramos. C. S. Lewis ao ser questionado sobre a razão dele orar por sua esposa com câncer, respondeu:

“…Deus não precisa da minha oração. Sou eu quem preciso dela. A oração me aproxima de Deus, revela minha dependência, minha fome e sede por Sua vontade, seu Reino, sua pessoa. A oração muda principalmente a mim – minha visão de Deus, do próximo, das circunstâncias.”4
2. Nutre nossa obediência a Deus: a oração nos coloca na “atmosfera” adequada para desejarmos e buscarmos a obediência.

3. Comunhão com Deus: a maior de todas as bênçãos da oração é que podemos ter comunhão com o Senhor de todo o universo, podemos adorá-lo através de nossas orações, receber forças para mortificar a carne e triunfarmos diante do pecado.

Ninguém entendeu melhor a sublimidade da oração do que o Senhor Jesus, ninguém orou tão intensamente quanto que Ele. E Ele é o nosso maior modelo, devemos seguir os passos dele no caminho que leva ao trono do nosso Pai.

Não há nenhuma justificativa para um filho de Deus não orar. Nós precisamos orar e orar muito, não podemos divorciar o conhecimento bíblico da oração. Martin Lloyd-Jones escreveu:

“O teste definitivo da minha compreensão do ensino bíblico é a quantidade de tempo que eu gasto em oração... Se todo o meu conhecimento não me conduz à oração, certamente há algo de errado em algum lugar.”5

Insista em orar, persevere nessa prática.

“Rogue pela oração; ore até que consiga orar, ore para ser ajudado a orar e não abandone a oração porque não consegue orar, pois nos momentos em que você acha que não pode orar, é que realmente está fazendo as melhores orações. As vezes quando você não sente nenhum tipo de conforto em suas súplicas e seu coração está quebrantado e abatido, é que realmente está lutando e prevalecendo com o Altíssimo.”6
Não há razão para você não orar!

Sonaly Soares
____________________
1R. C. Sproul – A oração muda as coisas?
2John Piper – A oração faz as coisas acontecerem
3John Piper – Twiter do Voltemos ao Evangelho, pub. em 28/08/2018        
4C. S. Lewis – Documentário no You Tube
5Martin Lloyd-Jones - Como está sua vida de oração?
6C. H. Spurgeon – Oração eficaz


Você também pode gostar

Nenhum comentário:

Receba nossas postagens