“Oh, Deus! Grave a eternidade nos meus olhos!” (esperança em meio à pandemia)


Esta frase foi exclamada pelo teólogo, filósofo, missionário e pastor Jonathan Edwards. Um dos nomes mais proeminentes do século XVIII e um dos líderes do Primeiro Grande Despertamento nos Estados Unidos. Sem dúvidas, vale a pena estudar um pouco sobre este homem. Nesta frase, peculiarmente ouvimos, ainda que sem som, o brado de alguém que ansiava a eternidade.

Eternidade! Algo tão complexo de ser entendido por mentes limitadas, mas tão necessário de ser selado nos corações de todos aqueles que creem piamente na palavra de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nos disse que iria voltar. Ele nos garantiu que a morte não é o fim, e nos deu também a gloriosa promessa de que ao fim de nosso último suspiro, num abrir e fechar de olhos, iremos ser levados ao encontro Dele e desfrutaremos da eternidade ao Seu lado.

Pare por um momento. Pense no quão gloriosa será a eternidade com Jesus. Imagine o que será viver sem nenhum obstáculo à nossa alegria na glória infinita do Rei dos reis e Senhor dos senhores para todo o sempre. Sem dor, sem tristeza, sem pecado, sem peso nem mácula alguma, ao contrário, com uma alegria indizível e infinitamente plena, com deleites eternos e prazer constante na presença Daquele que é todo suficiente para as nossas almas.

Como será o céu? Particularmente, não sei. Sei que todos os meus pensamentos finitos jamais chegarão perto do que me espera lá, logo, me contento em saber que encontrarei o meu Senhor, e isso me basta. Um pouco do desfrutar de Sua presença aqui na terra, ainda que em um corpo depravado e de maneira obscura com um vislumbre manchado pelo pecado, me faz sentir algo tão maravilhoso que não consigo exprimir, quanto ao mais penso em como será no céu?! Ao refletir tudo isso, não tenho nenhuma dúvida de que é infinitamente maior do que qualquer prazer e deleite desta vida.

Olhando agora para a atualidade, percebo que temos vividos dias sombrios. Estamos preocupadas de um lado para o outro no que será daqui pra frente, ansiosas por um futuro que desconhecemos e amedrontadas por todo um caos ocasionado por um simples microscópico vírus. O Covid-19 tem afetado drasticamente não apenas a nossa saúde física, mas emocional, espiritual, social e psicológica.

Diante deste cenário, nunca pudemos ver tão claramente que os corações da maioria das pessoas estão aqui, nesta vida mortal. Pois, se nosso anseio fosse o céu, pouco nos importaria o que poderíamos perder, mesmo se fosse a nossa vida. Se o almejar de nossos corações fosse a glória de Deus, iríamos testemunhar Dele ainda que nestes tempos sombrios, com fé, ousadia e destemor. Que o Senhor tenha misericórdia de nós, e nos ajude a desviarmos os nossos olhos deste mundo e os manter focados na eternidade! Todos os dias de nossa vida! Enquanto houver fôlego em nós. Oh, queridas irmãs, não cessemos de orar: “grave a eternidade nos meus olhos”, que não demos descanso ao nosso coração para que ele não se desvie e seja atraído por qualquer outra coisa que não seja a glória do nosso Deus. Nunca esta oração de Jonathan Edwards foi tão necessária como nos dias que estamos vivendo.

“Nós vivemos muito no tempo, somos muito terrenos. Nós vemos como os outros homens vêem, nós pensamos como os outros homens pensam. Nós investimos nosso tempo como o mundo o investe… Nós deveríamos ser uma raça de pessoas diferentes.”¹

Precisamos de um novo vislumbre da majestade de Deus.

O mundo tenta nos distrair do pensamento da morte, céu ou inferno. Vivemos como se nossa vida nunca fosse acabar, com tantos planos e sonhos, desejos e aspirações, sem nos darmos conta de que tudo um dia chegará ao fim, às vezes quando menos esperarmos.

O Senhor, por outro lado, nos afirma que somos aqui apenas peregrinos e forasteiros (I Pe 2:11), em busca de nossa pátria celestial (Fp 3:20). Todavia, nos pegamos vivendo nossos dias sem ao menos nos lembrarmos dessas verdades que afirmamos crer, com a mente obscurecida pelo presente, desviando nossa atenção do futuro.

Precisamos de um novo vislumbre da majestade de Deus! Precisamos ser tocadas outra vez pelo pulsar de Seu coração que nos tirará em um segundo do amor pela vida terrena e elevará o nosso amor a Ele, o real sentido de nossas vidas. Necessitamos desesperadamente mais do Senhor, até que cada respiração e palpitar de nosso ser revele que não pertencemos a nós mesmas, mas que fomos compradas por um bom preço, e que quer vivamos ou morramos somos Dele, eternamente.

Ele é o Senhor de toda a história, que comanda o universo com sua sabedoria perfeita e que está acima de tudo e de todos. Do que você tem medo? Nosso Senhor majestosamente venceu todas as coisas e triunfou sobre todas elas, inclusive sobre a morte, de modo que nem esta pode nos causar temor.

“Tragada foi a morte pela vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó morte, a tua vitória?” (I Co 15:54-55)

Ele nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo (I Co 15:57), Nele somos mais que vencedores. E assim, caminhamos, nesta esperança que não pode ser derrubada, avançamos na segurança que provém do que Ele nos diz.

“Que diremos, então, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? [...] Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu, ou melhor, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? Será a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo ou a espada? [...] Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Rm 8:31-39)

Ninguém pode nos acusar nem nos destruir, ninguém pode nos condenar nem nos separar do amor de Deus. Nosso futuro está guardado nos céus, onde nada nem ninguém poderá nos tirar de lá.

Você está vivendo para a eternidade? Você está almejando o céu? Como tens gastado seus dias? Nunca permitamos esquecer nem por um minuto da eternidade, mas que ela molde nossa forma de viver no presente, pautada por uma fé que não duvida e uma confiança que não se abala, independente do que vivermos. Eu não sei do que será daqui pra frente diante desta pandemia. Não sei se terei saúde, estabilidade financeira ou a alegria de ver minha família bem. Eu não sei. Porém, não quero esquecer que Deus tem um lugar seguro para mim, e que é pra lá que estou caminhando, para a minha pátria, para o meu verdadeiro lar. E assim caminho, em confiança e paz.

“Há um lugar preparado para mim
Mais bonito do que os olhos viram
Quando esses encargos me pesam
Não vou perder o coração, não duvidarei
A Graça vai me levar para casa
A Graça vai me levar para casa…”²


Thayse Fernandes
________________
¹ Leonard Ravenhill: O Trono de Julgamento de Cristo. Fonte: https://www.youtube.com/user/VoltemosAoEvangelho
² Grace Will Lead Me Home, David Dunn.

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.