Prevaleça em oração

16:30


Nós estamos vivendo um tempo de calamidade em que muito se tem falado acerca da necessidade da oração, e por um ano, de forma insistente,  temos clamado pelo fim dessa pandemia. É nesse cenário que o termo “prevalecer em oração”, tão utilizado por alguns grandes homens de Deus como Andrew Murray e C. H. Spurgeon ganharam notoriedade em meu coração, ao destacar uma oração que persiste diante de Deus até que a resposta venha.

 

Se faz necessário destacar que perseverar em determinada questão nem sempre é tarefa fácil, ainda mais na sociedade do imediatismo em que estamos inseridos, onde tudo é muito rápido, evidenciando-se na agilidade das trocas de mensagens, das informações, no meio tecnológico, na indústria alimentícia, entre outros. Essa visão acelerada das coisas repercute-se também em nossas petições, pois acabamos nos desanimando devido a ausência de uma resposta.

 

Contudo, em meio aos desafios de se manter perseverante, o próprio Senhor por sua Palavra nos traz inúmeros encorajamentos e exemplos acerca da persistência na oração. Um desses exemplos é encontrado em Lucas 18.1, onde Jesus nos fala da necessidade de orarmos e nunca desfalecermos; em 1 Tessalonicenses 5.17 Paulo nos exorta a orarmos sem cessar; no Capítulo 10 de Daniel vemos que ele orava e jejuava em súplica ao Senhor durante 21 dias; e em Atos 1.14 vemos os discípulos do Senhor prevalecendo em oração até a descida do Espírito Santo.

 

Dessa forma, podemos levantar algumas verdades importantes acerca da persistência e o prevalecer em oração. Primeiro, Deus é quem nos convida a orar e Ele o faz com o propósito de nos responder, estando assim com os ouvidos atentos às nossas petições. Percebemos isso no texto de Daniel 10.12, quando o Senhor ao responder pela súplica de Daniel lhe diz “porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras” nos mostrando que, apesar de Daniel permanecer orando durante três semanas, desde os primeiros dias Deus ouvia as suas orações.

 

Segundo, a oração possui um caráter santo, pois à medida que nos dedicamos a ela o Senhor cumpre a sua própria vontade por meio de nossas vidas. Observamos em Mateus 6.10 quando Jesus nos ensinou a orar dizendo: “venha o teu Reino e seja feita a tua vontade”, mostrando que ao orar estaríamos atraindo  a vontade de Deus para as nossas vidas, orando para que o Reino de Deus viesse a se estabelecer.

 

E por fim, pelo exercício da oração Deus moldará os nossos corações. A fé nas promessas de Deus irá produzir em nós a longanimidade, paciência, perseverança (hebreus 6.12). Além do mais, essa insistência irá ajustar o nosso foco na pessoa do nosso Deus, nos levando a uma caminhada persistente junto ao Pai, enchendo-nos de sua graça, estando em sintonia com o alto, com a vontade do Pai e nos movendo a caminhar junto dEle.

 

Prevalecer em oração é, portanto, mais do que o muito falar, pois Jesus diz que não é no muito falar que nós seríamos atendidos( Mt 6.7). Mas, é focar os nossos olhos em Deus, nas suas promessas garantidas em sua santa Palavra. É direcionar a nossa insistência na grande obra do Senhor que redundará em maior glória para o Seu nome.

 

Essa é a oração que prevalece, aquela que é feita com fé nas promessas garantidas da palavra de Deus.  Essa oração nos encoraja a continuar insistindo, pois sabemos em quem temos crido, um Deus que não é homem que se arrependa e nem filho do homem para que minta (Nm 23.19). Este é um Deus que cumpre as suas promessas.

 

Kelly Balbino

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.